quinta-feira, outubro 28, 2010

Desafio Literário: O Clube do Filme, de David Gilmour

Título Original: The Film Club
Autor: David Gilmour
Editora: Intrinseca
Gênero: Não Ficção. Relato.
Temas: Pais e Filhos, Família, Adolescentes, Cinema
Período: Canadá. Atual.
Um pai. Um filho. Três filmes por semana.

"É um relato sincero sobre como é difícil crescer, como é difícil ver alguém crescer e como no meio da raiva e da desordem de uma família não há nada tão bem-vindo quanto um filme." - The New York Times

Eram tempos difíceis para David Gilmour: sem trabalho fixo, com o dinheiro curto e o filho de 15 anos colecionando reprovações em todas as matérias do ensino médio. Diante da desorientação e da infelicidade desse filho-problema, o pai faz uma oferta fora dos padrões: o garoto poderia sair da escola - e ficar sem trabalhar e sem pagar aluguel - desde que assistisse semanalmente a três filmes escolhidos pelo pai. Com essa aposta diferente na recuperação e na formação de um rapaz que está "perdido", formaram o clube do filme. Semana a semana, lado a lado, pai e filho viam e discutiam o melhor (e, ocasionalmente, o pior) do cinema: de A Doce Vida (o clássico de Federico Fellini) a Instinto Selvagem (o thriller sensual estrelado por Sharon Stone); de Os Reis do Iê, Iê, Iê (hit cinematográfico da Beatlemania) a O Iluminado (interpretação primorosa de Jack Nicholson, dirigido por Stanley Kubrick); de O Poderoso Chefão (um dos integrantes das listas de "melhores filmes de todos os tempos") a Amores Expressos (cult romântico e contemporâneo do chinês Wong Kar-Way).
Essas sessões os mantinham em constante diálogo - sobre mulheres, música, dor de cotovelo, trabalho, drogas, amor, amizade -, e abriam as portas para o universo interior do adolescente, num momento em que os pais geralmente as encontram fechadas.

David Gilmour, crítico de cinema e escritor premiado, oferece uma percepção singular sobre filmes, roteiros, diretores e atores inesquecíveis ao relatar essa vivência com olho clínico e muita sinceridade. O autor emociona ao colocar os leitores diante da descoberta da vida adulta pelos olhos de um jovem e dos dilemas da adolescência administrados por um pai muito presente. Nas palavras de Gilmour: "É um exemplo do que o cinema é capaz, de como os filmes podem vencer suas defesas e realmente atingir seu coração."




**

.............................................................................
DESAFIO LITERÁRIO 2010
Outubro: Lição de Vida
Minha Lista

Talvez a primeira coisa a ser dita seja que eu, Thaís Gisele, não estava (e continuo não estando) no clima para este tipo de leitura. Tenho andado cansada (melhor dizendo, desanimada) e sinceramente, estou mais para tolas estórias românticas do que para lições de vida e/ou grandes obras literárias. Mas este era o tema do desafio e...

Pois bem. Não sou uma leitora costumas deste tipo de livro e honestamente, me considero racional demais para o chamado auto-ajuda mas confesso que, apesar de tudo, O Clube do Filme foi um livro que encantou. E digo, se eu tivesse em um momento mais *animado* teria aproveitado muito mais o livro. É por isso que, provavelmente eu o lerei novamente algum dia.

O mote é simples: David é um crítico de cinema desempregado às voltas com um problema familiar: o filho adolescente não quer mais ir à escola (ele já bombou em praticamente em todas as matérias). David então faz um trato com o filho: ele pode abandonar a escola, mas terá que assistir (junto ao pai) à três filmes por semana. E assim se inicia uma diferente história de aprendizado e ‘ensinamento’.

O livro vai tratando da relação entre pai e filho, dos acontecimentos que os cercam e, é claro, da relação da vida real com os filmes que eles vêm toda semana. À medida que o livro avança, podemos perceber que a ligação entre pai e filho se estreita, se torna mais sólida, porém nunca deixa de ser uma relação entre pai e filho.

Mais do que a questão do relacionamento o que mais agradou no livro foi a discussão sobre cinema. A relação entre a vida nas telas e a vida real. Para qualquer um que ame cinema, como eu, algumas partes são simplesmente deliciosas.
Este é um daqueles livros para se ler aos poucos- saboreando os detalhes. Se possível, até mesmo revendo (ou descobrindo) alguns dos filmes comentados.
**
A narrativa, em primeira pessoa, é simples mas não simplista. O autor nos relata a experiência sem falsos moralismos ou lições pré- estabelecidas. Mostra como é difícil o processo de *se tornar adulto* mas também como é dificílimo conviver com um adolescente.
Confesso que achei o garoto meio que irritante (mas que adolescente não o é?) e, honestamente, nunca deixaria que um filho meu deixasse de freqüentar a escola.
Não posso deixar de comentar que o livro se torna um pouco ‘óbvio’ (não chato, exatamente, apenas uma sensação de mais do mesmo, sabe?) nas últimas páginas. Mesmo assim vale a leitura.
**
***
Capas:
PhotobucketPhotobucket



Video:
David Gilmour e Jesse Gilmour falam sobre "O clube do filme". Livraria Cultura. Legendado.



Cotação:

3.5 /5

PS: Escrevi esta resenha um pouco às pressas, se você encontrar algum erro, por favor, me avise para que eu posso corrigi-lo.

E também, tenho que dizer eu não estava com muita paciência para escrever- por isso, me perdoem qualquer inconsistência.
Obrigado.





ETA: Estou começando um Desafio de Romances Históricos. Saiba mais aqui: http://desafioromanceshistoricos.blogspot.com/

Reações: