terça-feira, maio 01, 2012

The Wrong Hostage, de Elizabeth Lowell



Título Original: The Wrong Hostage
Autor: Elizabeth Lowell
Editora: -Importado-
Gênero: Suspense Romântico
Série: - St. Kilda Consulting- Livro 2
Sub-Gênero/Assunto: Romance Contemporâneo, Crime e Mistério, Drogas, Homens da Lei, Reencontro
Período: Dias Atuais. EUA e México.
Grace Silva clawed her way out of poverty to become a highly respected judge. When she seeks out Joe Faroe--a former kidnap specialist for a global business--to help rescue her son from a violent killer, past and present collide.




Grace Silva fez seu caminho para fora da pobreza para se tornar uma juiza altamente respeitada. Quando ela procura Joe Faroe - um ex especialista em seqüestros de uma empresa global - para ajudar a resgatar seu filho de um assassino violento, passado e presente colidem.



Sabe aqueles livros sobre/com mercenários em que sempre tem um mocinho bom de briga (e de cama!) e mocinhas sofredoras? Pois é, The Wrong Hostage, à primeira vista, parece mais um desses tão conhecidos- e fantasiosos- romances. Eu digo à primeira vista, pois a autora, Elizabeth Lowell, dá uma dinâmica e verossimilidade totalmente diferente ao tema.

A trama, os personagens e cenário são bem conhecidos mas é o toque de Lowell que torna tudo interessante. Grace Silva é uma juíza federal,recém divorciada, cujo filho adolescente foi sequestrado por um quartel de drogas no México. A única exigência dos sequestradores é trocar o garoto pelo seu pai. O problema é que o ex-marido de Grace parece ter desaparecido do mapa. Ela sabe que o único que pode ajudá-la é Joe Faroe, espécie de agente de segurança/mercenário aposentado, com quem ela tem um passado conturbado e esconde um segredo que pode mudar tudo.

Contando com a ajuda da St. Kilda Consulting, uma empresa de segurança privada, Joe e Grace vão tentar salvar a vida do filho dela e descobrir o no que o ex-marido da juíza está metido. Ah, e quem sabe reviver uma antiga paixão...

O que eu gostei no livro é que nada é muito fácil. Joe e Grace não vão simplesmente para o México, sequestram o garoto de volta e fica tudo bem. Existem problemas, complicações. Sem contar que eles não estão exatamente do lado certo da lei e muitas vezes FBI e CIA podem ser um pé no...vocês sabem.

Diferentemente de muitas “mocinhas” de estórias similares, Grace Silva não é do tipo “mosca-morta”, que tem medo de tudo e se resvala no macho ao lado pra tudo. Não, ela sabe o que quer e luta por isso, nem que tenha que ir contra os seus próprios princípios como cidadão e principalmente como juíza. Ela possui duas paixões: uma óbvia, magistratura e outra, adormecida, pronta para “explodir”, que é Faroe. Porém, nenhuma dessas “paixões” é maior que seu amor por seu filho. E por ele, Grace é capaz de tudo; perder uma carreira e uma segunda chance no amor. Honestamente, não consigo dizer que ela esteja errada.

Joe Faroe é um tipo fechado, introspectivo. Quase rancoroso, eu diria. A relação dele com Grace, em certos aspectos, é quase Palmeriana. Ele não é ogro, nem grosseiro, nem nada disso, mas existe uma tensão entre os dois. Afinal de contas, *ela* foi, mesmo que indiretamente, responsável por sua prisão anos antes.

Apesar de não ser o foco principal da trama, o romance é tratado aqui de forma envolvente e madura. O casal principal não é de jovens ou de adolescentes, o que dá uma dinâmica totalmente diferente ao romance. Grace e Faroe são duas pessoas adultas, já vividas mas que ao mesmo tempo, no decorrer da estória, acabam se dando a chance de se entregarem à uma paixão.

É interessante perceber que a primeira cena de sexo deles é um caso clássico de paixão reprimida. O amor vai surgindo- ou ressurgindo- mais tarde. Além disso, eu gostei que a autora fugiu do estereótipo de micinha “loirinha de olhos azuis” ou “ruiva estonteante de olhos verdes”. Além de mais velhos, Faroe e Grace têm ascendência hispânica. (é ascendência, né?)

Focado mais na parte do thriller policial, o livro possui um ritmo frenético; com muitos personagens e pequenas tramas secundárias, The Wrong Hostage demanda um pouco de atenção do leitor mas não é uma leitura difícil ou complexa. Por vezes me senti frustrada quando as tentativas não davam certos e tudo parecia complicado demais mas a verdade, pensando bem, é que na maioria dessas estórias, tudo soa fácil demais, não? Elizabeth Lowell descreve bem as cenas de “luta” sem as tornar cansativas ou ridículas. Ela delineia a ação de forma que esta se tornar compreensível e ao mesmo tempo não cansativa  ou "apressada" demais , o que eu acho maravilhoso.

O grande problema do livro- ou talvez nem seja do livro- é aquele eterno ar de superioridade americana. Não estou dizendo que concordo com o Narcotráfico e tals mas ... bem, isso é assunto pra outra hora, né?
De qualquer forma, se você gosta de um bom livro de aventura com ótimos toques de romance, The Wrong Hostage é uma ótima pedida!
Recomendo.

A Série

St. Kilda Consulting

Livro1- Always Time to Die- inédito no Brasil
Livro 2- The Wrong Hostage - inédito no Brasil.
Livro 3- Inoccente as Sin- inédito no Brasil.
Livro 4- Blue Smoke and Murder - inédito no Brasil.  [RESENHA]
Livro 5- Death Echo- Inédito no Brasil


Eu sei que eu sempre estou frisando sobre a importância de se ler uma série na ordem certa, mas aqui, com  St. Kilda Consulting, honestamente, não vi a necessidade disso. É claro que eu não li a série inteira, então não sei se a ordem fará diferença depois. O fato é que, ao que me parece, cada estória é uma aventura independente e nem os personagens são os mesmos.

Outras Capas:



EXTRAS

Site do Autor: http://www.elizabethlowell.com/

Facebook FanPage: www.facebook.com/ElizabethLowellFans




Cotação:

4/5

Reações: