terça-feira, fevereiro 26, 2013

[Especiais] Entrevista com a autora Eve Berlin


Entrevista Eve Berlin

Oi, gente, aqui está uma breve entrevista que eu fiz com a Eve Berlin, autora da trilogia Luxúria. Espero que vocês gostem!



Quando você resolveu escrever histórias e fazer disso uma profissão?
Venho escrevendo desde que eu era uma criança, mas eu decidi tentar ser publicada em 2000. Prém eu ainda tive um “emprego de escritório” durante vários anos. Eu comecei a escrever em tempo integral em 2004.

Você tem algum tipo de processo criativo? Você organiza as ideias antes de escrevê-las?
Meu processo não é muito organizado, a princípio. As idéias surgem para mim- muitas vezes eu nem sei de onde elas vêm.
Pode ser uma música, uma cidade ... quase tudo pode me inspirar, mas eu costumo ter primeiro idéias para os personagens. Eu faço um monte de anotações que acabam espalhadas por toda a minha casa!

O próximo passo é me sentar e verdadeiramnete desenvolver os personagens- onde eles vivem? Como eles se parecem? Como eles são com a família, relacionamentos, trauma? Que tipo de carro eles dirigem? Que tipo de trabalho que eles têm? Na verdade, eu tenho uma espécie de gráfico que eu uso para desenvolver meus personagens, bem como um para obter informações sobre a história, como é a cidade aonde se passa a trama, o ano, minhas pesquisas. Vou acrescento fatos a ele , à medida em que vou escrevendo, e isso cria o que chamamos de a "Bíblia da história". Isso é muito útil quando se escreve uma série.

Eu sei que você já deve ter respondido a essa pergunta diversas vezes, mas eu não me contenho em não perguntar: você leva alguma coisa da vida real para as suas tramas?
Eu sempre trago algum elemento da minha vida as histórias que eu escrevo. Pode ser algo simples como minha reação a uma cidade querida, ou complicado como basear um personagem em uma pessoa real. E porque eu tenho muitos anos de experiência na comunidade kink* (isso não é nenhuma novidade- Estou bastante ‘fora do armário’ em relação à esse aspecto na minha vida).

*kink= algo como fetiche sexual. Somodasiquismo é um kink para quem gosta da prática. Eu tendo a usar muito experências da vida real.

Quando eu li Luxúria, o personagem de Alec me lembrou, fisicamente, o modelo inglês David Gandy. Quando você está escrevendo, você pensa em uma pessoa real específica para criar um personagem? Quero dizer, fisicamente.

Alguns dos meus personagens são baseados em pessoas que conheci, mas houve apenas alguns casos em que eu os basei em pessoas famosas. Shaye na minha novela SANCTUARY ( (escrito sob o meu principal pseudônimo, Eden Bradley) é baseada em um homem que conheci nas circunstâncias descritas naquela história, em um clube em San Francisco, e Jagger em meu romance FORBIDDEN FRUIT (também um livro de Eden Bradley) é baseado fisicamente no Lenny Kravitz. Em uma estranha coincidência, o cara com quem eu estava saindo era igual a ele!
Eu amo a idéia de David Gandy como Alec, de Luxúria! Isso seria um ótimo elenco!

As mulheres parecem que estão perdendo um pouco a "vergonha" de serem vistas lendo livros de temática sexual. O que você acha sobre isso? Como você vê esse aumento no "consumo" e na "produção" de livros eróticos ultimamente?

Eu penso que é uma natural progessão cultural. Eu sempre me surpreendo como nós somos tão avançados na ciência, como a cultura ocidental é complexa, mas o sexo ainda é um assunto tabu.
Eu adoro que mais mulheres estão lendo Erótica, que estamos mostrando isso publicamente e dizendo ao mundo que somos criaturas sexuais com desejos e necessidades. Eu acho que é saudável.
A trilogia Cinquenta Tons de Cinza definitivamente teve um impacto na produção e no consume de literature erótica. Muitos novos autores estão aparecendo, e alguns dos livros são ótimos e outros, péssimos. Mas os leitores irão, eventualmente, descobrir isso e encontrar seus autores favoritos.

Os seus livros levam uma pegada mais BDSM, algo visto como tabu, por alguns. Existe algum tipo fetiche sexual que você não se sentiria confortável em escrever?

Há um monte de fetiches sobre os quais eu jamais iria querer escrever, pois, ou não me agradam ou eu os considero perigosos ou não saudáveis . Alguns fetiches são perfeitamente okay, mas se eu não sou ligada a eles, se eles não me excitam, eu não posso escrever com autenticidade sobre isso. E muitas pessoas são ligadas em coisas estranhas, como palhaços, por exemplo! (risos). Que bom para elas, mas eles nunca irão aparecer em um dos meus livros!

*nota da Thaís: Graças aos Céus por Isso! ODEIO palhaços!

7- Com esse advento de literatura soft porn e principalmente dos livros dessa temática voltados mais para o BDSM ou que apresentam um heroi mais dominante (alfa), tem havido algumas criticas sobre o papel submisso da mulher nessas obras, como se houvesse uma desvalorização do papel feminino. Em Luxúria,a meu ver, a personagem principal, apesar de seus traumas, é uma mulher forte, porém, como você encara esse tipo de crítica/argumento? 

Bem, primeiro eu gostaria de esclarecer que "pornografia" é um termo que descreve o material escrito exclusivamente para a estimulação sexual. Erótica tem uma história para contar, mesmo que seja apenas um breve momento em que o personagem descobre algo sobre si mesmo. E no romance erótico, o relacionamento é sempre a força motriz por trás da história.
A maioria dos eroticos é lido por mulheres. Embora existam alguns livros Fem Dom* (*Mulheres Dominantes/Dominatrizes) por aí, eles simplesmente não vendem tão bem. A maioria dos leitores do sexo feminino quer ver um herói forte, e eu acho que isso pode ser difícil de retratar de forma que satisfaça as leitores se o herói submete-se à heroína.

No meu livro THE BEAUTY OF SURRENDER (novamente, escrito como Eden Bradley), há duas histórias, e na segundo o meu herói, James, submete a uma mulher. Mas ele é um personagem incrivelmente forte, e eu trabalhei duro para retratar isso para os meus leitores.
Mas, tanto quanto mostrar a força do herói, submeter-se a um homem é também uma fantasia muito comum feminino. Ela nos liberta de toda a responsabilidade da vida cotidiana e até mesmo para nossa própria sexualidade. Acho que este tema tem complexas questões psicológicas subjacentes, o que sempre o torna interessante para escrever.

Você está com algum novo projeto em mente. Algo que possa compartilhar?
No momento, estou trabalhando numa série de três livros. O primeiro livro, DANGEROUSLY BOUND, sairá nos EUA no final desse ano, eu acho. É outro livro com temática BDSM , o primeiro de uma série ambientada em Nova Orleans.

Para terminar, eu gostaria de agradecer por esta pequena entrevista e pedir algumas palavras para os seus fãs brasileiros. Nós estamos muito ansiosos com o lançamento de No Limiar do Desejo aqui.

Estou animada com o lançamento de No Limiar do Desejo aí também! E eu sou muito agradecida por todas as mensagens de meus novos fãs brasileiros. Por favor, sinta-se livre para escrever para mim através dos meus websites EveBerlin.com ou EdenBradley.com
Muito obrigado por ter me recebido aqui hoje!
Eden : )



Sobre a autora
Eve Berlin vive em Hollywood onde escreve romances eróticos repletos de volúpia e sensualidade, mas com um ligeiro toque de perversidade. Quando não está escrevendo ou lendo vorazmente ela dá aulas de Pilates, o que a tira de casa e a ajuda a inspirar-se ainda mais para escrever seus romances.
Ela ainda tem algumas outras obsessões: sapatos, pinturas, reality shows, gatos e, é claro, livros. Eve Berlin é autora de Luxúria, o primeiro livro de uma trilogia erótica de sucesso mundial.


***

As minhas resenhas de:

Luxúria

No Limiar do Desejo

 Tentação

***


PS: Eu não sou uma tradutora e por isso, caso você encontre algum erro nesse post, por favor, me avise para que eu possa corrigir. :)

Reações: