quinta-feira, dezembro 10, 2015

[Resenha] Magia do Sangue - Nora Roberts


“Há muitos anos, Branna O’Dwyer entregou seu amor a Finbar Burke. No entanto, o romance durou pouco. Uma maldição ligada ao sangue de suas famílias os proibiu de ficar juntos. Branna tentou preencher esse vazio com amigos e familiares, mas sabe que, sem Fin, sua vida nunca estará completa. Ele, por sua vez, passou os últimos doze anos viajando pelo mundo, focado exclusivamente no trabalho. Atormentados pela forte atração que nem a distância pôde aplacar, nenhum dos dois acha que um dia se entregará de novo ao amor. Entretanto, em meio às sombras que ameaçam destruir tudo o que eles consideram mais precioso, esse relacionamento sem futuro pode ser também a última esperança que lhes resta. ”

Blé.

Serei sincera, os dois primeiros livros da Trilogia Primos O’Dwyer não tinham me empolgado, mas tampouco havia achado eles ruins. Apenas sem graça, ou mais do mesmo. Todavia, eu estava curiosa em saber como a história iria terminar e o livro de Fin e Branna tinha tudo para ser o mais intenso, dramático. Enfim, mais interessante mesmo. Tá certo que eu achava a Branna Control Freak ao extremo mas a trajetória dela e de Fin, sem dúvidas, era a mais interessante de todas.

Os dois tinham um passado- e um amor mal resolvido. Quase que um Romeu e Julieta Paranormal, onde ele tem o sangue (e a marca!) daquele que Branna deve derrotar. Sem contar que Fin era um dos personagens favoritos da trilogia. Fin é um mocinho, sem dúvidas, mas desde o primeiro livro havia esse toque meio trágico nele, um desespero por amor quem não pode, mas principalmente por temer sucumbir ao mal.

Pois bem.

Magia do Sangue tinha tudo para ser *o* livro, certo? Fechar com chave de ouro. Derrotar o mal e ter um belo felizes para sempre. Ah, foi tudo menos isso. Na verdade, nem tenho muito o que contar- e sabe por que? Porque NÃO ACONTECE NADA durante o livro inteiro!

Magia do Sangue se resumiu à: Branna Cozinha. Branna Conversa. Branna Limpa. Pausa para Cahban espreitando. ,i>Então... Branna Cozinha. Branna Conversa. Branna Limpa. Pausa para Cahban espreitando. Então... Branna Coz....

O livro é um louping tedioso e sem fim. É tanta repetição que até as supostas cenas de romance ficam perdidas. Em determinado momento eu estava fazendo leitura dinâmica para terminar logo. Honestamente, estava beirando o insuportável de tão chato.
Tudo era tão monótono e repetitivo que nem o grande climax foi emocionante. Blé. Blé é a palavra.

Não há dúvidas que Nora Roberts é uma escritora de grande talento, mas por vezes eu percebo que ela se repete demais; usando e abusando da mesma fórmula incontáveis vezes. Aqui eu tive a nítida impressão de que ela simplesmente não sabia o que escrever. Uma pena pois, ao contrário dos livros anteriores, este último livro tinha um material vastíssimo para ser desenvolvido.

Eu recomendaria a série para quem gosta da autora, à titulo de curiosidade. Para quem nunca leu Nora Roberts, existem livros muito melhores.

Uma pena.

E aí, alguém já leu? O que achou?

Título Original: Blood Magik
Autor: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Série Primos O'Dwyer
Gênero: Fantasia
Sub-Gênero/Assunto: Amor Proibido, Bruxas, Paranormal,
Período: Atual e Séc 13. Irlanda.
Outra Capa:




2/5

 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

Reações: