quinta-feira, julho 07, 2011

Annabelle, de Beverlee Ross

Título Original: Annabelle
Autor: Beverlee Ross
Editora: Nova Cultural
Gênero: Romance Histórico,
Coleção: Clássicos Históricos 20
Temas: Casamento de Conveniência, Gravidez, Velho Oeste, Romance de Banca
Período: Velho Oeste
Estranhos parceiros de cama...
Quando Clint Strand viu Annabelle pela primeira vez, ela estava lhe apontando um revólver! Pior: exigindo que Clint se casasse com ela. Casar com essa ruiva rebelde era a última coisa que ele desejava na vida. Mas um pistoleiro renegado não tinha muitas alternativas para escolher uma esposa.
Só Deus sabia o que dera na cabeça de Annabelle ao afrontar Clint no saloon apinhado de cowboys, proeza que a maioria dos homens não tinha coragem de fazer. Nada mais importava: ela conseguira o que desejava - um marido. E, agora, estava presa a ele...para o bem ou para o mal!







De modo geral, eu não gosto muito de estórias em que a mocinha está grávida de outro mas este aqui começa de forma tão original que a gente praticamente esquece este detalhe.

Annabelle é uma jovem grávida que está (literalmente) à beira do altar quando lhe avisam que o noivo fora morto. Ela, então, não se faz de rogada: de arma em punho vai até o pistoleiro que matou seu noivo e o obriga a casar com ela, assim a criança não nascerá bastarda. Um pouco aturdido, é claro, Clint, o tal pistoleiro acaba aceitando casar-se com a doidivanas, digo, a moça.
A cena é meio (bem!) absurda mas é muito engraçada.

O livro é praticamente a estória desse ‘casamento torto’ onde, apesar das intempéries eles farão de tudo para que dê certo. Os dois são outsiders- ele é um ex-pistoleiro e ela sofre preconceito das alcoviteiras da cidade (odeio moralistas!).

Annabelle é uma graça de estória- é daquele tipo de livro que a gente ‘vive’ junto: se emociona e ri no decorrer das páginas. Têm muitas partes engraçadíssimas, algumas que dão raiva e outras bem tristes. Não quero entrar em detalhes mas existe um momento bastante triste e eu gostei muito da delicadeza com que a autora tocou o assunto. Ela não quis mostrar uma solução fácil, maniqueísta. Certas tragédias, certas perdas só conseguem ser cicatrizadas com o tempo.

Talvez o único ponto de desconforto na leitura seja uma certa sensação de que, nos momentos felizes, alguma coisa triste está para acontecer. Não que o livro seja pessimista ou triste, pelo contrário- mas ele mostra que não existe a felicidade plena.

Na parte romântica da estória, Anabelle não deixa nada a desejar. As cenas de amor são extremamente delicadas.

Uma graça de livro. Recomendo.

A Autora:

Tentei obter mais informações sobre a autora e não achei nada. Ao que parece que este foi o único livro que Beverlee Ross escreveu. Uma pena.

Capa Original:



Cotação:
4 / 5

Reações: