quarta-feira, setembro 14, 2011

Lázarus, de Georgette Silen [BookTour Underworld]


Título Original: Lázarus
Autor: Georgette Silen
Editora: Novo Século
Gênero: Fantasia
Sub-Gênero/Assunto: Romance Contemporâneo, Suspense, Vampiros, Aventura
Período: Atual


Mistério, romance, alta tecnologia, sangue e morte passam a cercar a vida de LauraVargas, museóloga brasileira, após ela aceitar um surpreendente e inesperado convite para assumir o cargo de curadora de arte no The City Museum of Art and Gallery, em Bristol, sudoeste da Inglaterra,a cidade natal da família de seu pai. Disposta a começar uma nova vida ao lado da filha adolescente, Cinthia, Laura se surpreende ao descobrir que nem todos são aquilo que aparentam ser e que a eternidade é muito mais do que um conceito, ou uma simples palavra, quando ela encontra o Lázarus e recebe dele o seu “dom”.

Agora, Laura precisa fugir de seus perseguidores, interessados em obter a “cura” milagrosa para todos os males, o dom ofertado pela misteriosa criatura lendária, e que se concentra em seu sangue.

Orelha do livro:

“Olhei meu reflexo na janela do ônibus, para a estranha que me observava.Overda- deiro nome que eles procuram nunca pisou em solo brasileiro nos últimos meses, nem mesmo voltou de Bristol ou esteve por lá. Estava perdido talvez para sempre. Em meio aos pensamentos não percebi a pequena senhora ao meu lado cair no sono, com seu rosário nas mãos, a Bíblia ainda aberta e a luz interna acesa.
Num gesto de déjavú, retirei lentamente a Bíblia de suas mãos para fechá-la e apagar a luz para que ela pudesse descansar. Mas assim que toquei no livro, meus olhos caíram para a página que ela estava lendo. Era o evangelho de João 11:12. Dito isso exclamou com voz forte: 'Lázaro, vem para fora!' O que estivera morto saiu, com as mãos e os pés amarrados com faixas e um pano em volta do rosto. Jesus então lhes disse: 'Desamarrai-o e deixai-o ir'. Aressurreição de Lázaro. Um forte estremecimento me tomou. Olhei para a mulher amamentando seu bebê tran- quilamente. Sim, o nome que eles procuram não será encontrado. Mas não é meu verdadeiro no- me o que importa. Para eles só uma coisa interessa: a cura.”






Lázarus é um livro de vampiros um pouco mais adulto- com personagens e situações mais adultas- o que, particularmente, achei ótimo. Aqui, a protagonista, Laura, é uma jovem mulher adulta e não uma adolescente irritante.

Eu não sou particularmente uma fã de vampiros (culpem Stephanie Meyer e seu vampiro-purpurina! ) mas devo confessar que Lázarus me surpreendeu. É uma ótima estória de aventura.

A estória começa quando a jovem viúva Laura, uma museóloga brasileira e mãe de uma adolescente, aceita uma proposta de emprego em um museu de Bristol, Inglaterra. Lá, ela encontra o trabalho de seus sonhos e acaba se envolvendo romanticamente com Robert, o irmão de sua chefe. Tudo corre bem, apesar de uma série de mortes estranhas que estão ocorrendo na região, até que...

É, não posso contar mais pois estragaria a surpresa. Apenas posso dizer que Georgette vai nos apresentar um mundo de metamorfos, vampiros e outros seres fantásticos.

Lázarus tem um toque romântico mas é basicamente um livro de aventura. A estória é muito bem construída e a autora cria toda uma nova- e interessante- mitologia ‘vampiresca’.

O livro é dividido em três partes, sendo a terceira e última a mais interessante e melhor escrita. É nesta parte final que a estória cria um ritmo, revelando enfim o que significa o ‘Lázarus’ do título. Não estou dizendo que as duas primeiras partes sejam ruins, mas confesso que as achei um pouco paradas, detalhadas demais.

A autora nos apresenta uma ótima trama, mas o que se destaca mesmo é a construção de personagens: todos muitos críveis e bem delineados. Os personagens são humanos, com qualidades e defeitos mas em nenhum momento irritantes ou forçosamente ‘perfeitos’.

A filha adolescente de Laura, Cínthia, é um ótimo exemplo. Ela é retratada como uma adolescente normal, com suas ‘chatices’ típicas de adolescente mas também com ótimo senso de humor. Nem perfeita nem insuportável. Normal.

Um outro personagem que também merece destaque é David, amigo de Laura e de vital importância para a trama. No início, o achei um pouco arrogante e tolo, mas aos poucos fui gostando dele, percebendo o quanto era um personagem rico e cheio de nuances.



“-Ás vezes as coisas são tão claras para mim que não há a necessidade de provas- ele me interrompeu.- E de qualquer forma, não preciso delas para justificar o que sinto por você.
-Você nem me conhece. Não sabe quem eu sou de verdade- tentei argumentar.

-Você também não sabe quem eu sou de verdade- ele me olhou nos olhos, alguma coisa mais profunda pareceu se agitar com essas palavras. – Mas temos uma vida toda para descobrir.

Talvez esse fosse o momento que assustaria muita gente. “Vida Toda”é uma expressão muito mais complexa do que um simples flerte, um encontro ou algo similar. É um compromisso, algo mais raro entre duas pessoas nos dias atuais(...) E na minha frente estava ele, possivelmente o único homem por quem tudo isso fazia sentido. Não havia medo, nem receio, nem a sombra de uma dúvida.
Só a luz de uma certeza irradiava: a de que estava completamente apaixonada por esse homem.
Ele pegou meu rosto entre suas mãos frias.

-Bonita Laura- falou em português. O sotaque dele deixava cada palavra ainda mais encantadora aos ouvidos. – Não sei como você fez esse milagre acontecer , mas estou apaixonado por você.
Senti tontura e palpitação sem tamanho. O vento era só um detalhe insignificante.
-Robert- foi só o que consegui dizer num sussurro.

Sua boca então se aproximou devagar, os olhos presos nos meus, e então se uniu a minha. O contato fez um arrepio subir de minha coluna ao meu pescoço e o calor se espalhou por todo o meu corpo.

(...)
Não havia mais tempo ou espaço. Nem frio nem vento. Passado e futuro deixaram de existir para mim. Só havia aquele momento e minha mente queria guardá-lo na memória exatamente desse jeito.”


-pág. 98



Particularmente, não sou fã de narrativas em primeira pessoa e este livro não foi uma exceção. Penso que esta foi uma das maiores falhas do livro. Principalmente, por que este ponto de vista em primeira pessoa ia mudando aleatoriamente, tornando a leitura por vezes confusa. Muitas vezes me senti perdida, tentando saber quem estava ‘falando’.  Além disso, a mudança súbita de narrador acontece sem uma espécie de sinal, ou marca (um asterisco seria bom, talvez) . A escrita de Georgette é clara e segura e compreendo que ela quis dar uma maior dimensão e aprofundamento à estória, mostrando-a sob o ponto de vista de vários personagens, mas acredito que seria muito melhor se isto tivesse sido feito em terceira pessoa e demonstrando, de alguma maneira, a mudança de narrador.

Um outro ponto negativo, a meu ver, é o tamanho dos capítulos. São muito longos, tornando por vezes a leitura um pouco cansativa. Por se tratar de um livro basicamente de aventura, capítulos mais curtos dariam um maior dinamismo à leitura. Os capítulos longos e uma certa repetição nos detalhes e descrições acabam cansando.

Eu não recomendo uma leitura por ser de autor ou autora nacional, acho isso errado e paternalista. Eu recomendo Lázurus por ser um bom livro, uma leitura interessante. Ponto. Não importa se é literatura nacional ou não. O livro tem suas falhas, é fato, mas merece ser conhecido, especialmente por aqueles que gostam de literatura fantástica e de aventura.

Ah, e eu já falei que estou louca para saber como esta estória continua?

A Série
Eu gosto muito de séries, mas acho extremamente frustrante quando o livro de uma série não tem final, terminando em aberto. Até mesmo os livros da série Harry Potter têm seus próprios finais, fechando um ciclo a cada volume. Aqui fica-se com uma angustiante vontade de quero mais.

1. Lázarus
2. Panaceia
3. Nênia
4. Zênite

A Edição:

A edição está caprichada e bem feita, porém não perfeita. Encontrei vários erros de pontuação, principalmente, na colocação de vírgulas.

Gostei bastante da font utilizada para o título e apesar de não ser fã deste tom de vermelho acho que combinou com o estilo da leitura- apenas não gostei da figura da mulher. Pessoalmente, acho que teria ficado mais interessante se em vez de uma mulher houvesse uma árvore seca ou uma construção em ruínas.

Outro ponto é que em nenhuma parte do livro é dito que se trata de uma série. Um erro, a meu ver. Eu apenas descobri que fazia parte de uma série pesquisando na internet. O livro não tem um final e quem lê sente-se um tanto quanto perdido.

BookTour

Eu recebi este livro através do Booktour da Editora Underworld. Infelizmente, nem tudo foram flores, por assim dizer. As listas com a ordem de recebimento dos livros foram divulgadas em março deste ano, porém, eu recebi Lázarus apenas em Setembro e para piorar justamente quando eu estava para viajar para o Rio. Houve muita falta de informação e, principalmente, comunicação. Espero, honestamente, que não haja mais problemas com os próximos livros do booktour.

Onde Comprar: Livraria Cultura|Saraiva| Submarino


EXTRAS


Blogs da Autora: http://georgettesilen.blogspot.com/ e http://sagalazarus.blogspot.com/

Facebook FanPage: http://pt-br.facebook.com/people/Georgette-Silen-Silen 


Twitter: @georgettesilen

Cotação:
4/5

Reações: