quinta-feira, março 15, 2012

O Cirurgião, de Tess Gerritsen [Rizzoli & Isles]

Título Original: The Surgeon
Autor: Tess Gerritsen
Editora: Record / Vira-Vira Saraiva.
Gênero: Thriller Médico
Série: Rizzoli & Isles- Livro 1
Sub-Gênero/Assunto: Suspense, Romance Contemporâneo, Crime & Mistério, Serial Killer, Amor Proibido
Período: Atual. Boston, EUA.
Tess Gerritsen, neste livro assustador, narra o rastro de sangue deixado por um assassino cruel. O agressor entra na casa de suas vítimas na calada da noite e segue até o quarto delas. Mergulhadas em sono profundo, as mulheres ignoram que irão acordar para um terrível pesadelo... A precisão com que ele investe contra as mulheres , somada à crueldade de agressão - útero das vítimas é arrancado -, sugere que o responsável pelas atrocidades seja um médico psicopata. Os jornais de Boston passam então a chamá-lo de "O Cirurgião". Em um livro de tirar o fôlego e com descrições minuciosas, a autora nos apresenta a um rico universo de personagens, ao criar um romance de suspense e profundidade inéditos.





Há muito tempo, O Cirurgião estava na minha lista de futuras leituras. Eu já havia ouvido falar muito bem da autora e sua obra. Além disso, tornei-me fã do seriado Rizzoli & Isles, baseado na série. O tema deste mês no Desafio Literário 2012, Serial Killer, foi o empurrão que eu precisava para finalmente começar a ler.

O Cirurgião é um ótimo livro, porém, não é um livro maravilhoso. Não é aquele livro extraordinário que tantos falavam e que eu esperava encontrar. Ah, as expectativas...

O ponto mais fraco do livro foi, a meu ver, justamente Jane Rizzoli. Pra começar, eu nem posso considerar ela como protagonista- está mais para uma coadjuvante de luxo. E, sinceramente, graças aos Céus, por isso, porque, ela é provavelmente uma das personagens mais chatas e irritantes que eu já li. Eu já não era muito fã da personagem televisiva e, no papel, ela consegue ser mais insuportável. Rizzoli é chata, mesquinha, invejosa, cheia de pena de si mesma e pior, uma traíra. Concordo que não é fácil ser a única mulher em mundo cheio de homens e onde a sua presença não é bem vista e seus esforços não são apreciados, porém, Jane não faz a mínima questão de melhor a situação, de ser sociável. Alguns podem até considerá-la como um personagem complexo, mas, eu não vejo assim. Tess escreveu uma personagem bem linear, unilateral cuja única qualidade é ser uma boa policial (e mesmo assim, não é nada mais que a obrigação dela, né? )

As cenas de procedimento hospitalar foi outro ponto que me incomodou. Esta é uma questão de puro gosto pessoal mas eu realmente não me interesso por nada ligado à área de Saúde. Não tenho nojo nem nada- simplesmente acho chato.

Pode até parecer que eu não tenha gostado do livro. Não, O Cirurgião , como eu disse anteriormente, é um ótimo livro mas alguns aspectos o impediram, a meu ver, de ser um livro fantástico.

Tess Gerritsen tem uma escrita segura e ela constrói uma trama que vai pouco a pouco tomando força e contornos extraordinários. O livro possui um enredo muito bem desenvolvida, com capítulos não muito longos. Penso que uma dos aspectos mais importantes em um livro de suspense é o ritmo- não pode ser muito lento nem rápido demais. O Cirurgião não tem problemas nesta área. Outro aspecto importante é que a autora não se mostra melindrada em descrever cenas de ação e principalmente, de morte e crueldade.

A estória gira em torno de um Serial Killer- cuja alcunha, O Cirurgião,  advém de seu Modus Operandi, que  é retirar o útero de suas vítimas, ainda vivas, antes de matá-las- e a tentativa do Departamento de Policia de Boston em capturá-lo. É uma tarefa dificílima e complicada. Além do mais, os assassinatos parecem ter relação direta com crimes muito similares ocorridos anos atrás. Poderia se tratar do mesmo assassino se a única sobrevivente, a Dra Catherine Cordell não o tivesse matado.

A Dra Cordell é óbvia ligação entre os crimes e pior, ela se vê como objeto de obsessão do Cirurgião. E para tornar as coisas ainda mais complicadas, ela começa a se envolver com um dos detetives encarregados pela investigação dos crimes, Thomas Moore.

Catherine Cordell é uma renomada cirurgiã que, a primeira vista pode parecer fria e distante, mas que aos poucos vai desmoronando; é um personagem complexo.

Ao contrário, do que pode parecer óbvio, neste primeiro livro da série, o personagem principal, o protagonista, não é Jane Rizzoli, mas sim Thomas Moore.

Eu achei Thomas Moore fascinante. Viúvo, boa-praça e ótimo policial, ele é chamado de “Santinho” pelos colegas, pois nunca sai da linha- contudo, a vida dele começar a mudar completamente quando o Cirurgião e a bela Dra Cordell entram em cena. Ele sabe que não é ético envolver-se com uma vítima, mas a atração entre os dois é forte demais.

Este não é um suspense romântico porém as cenas de Moore e Cordell são ótimas, de uma delicadeza impar. Tess consegue transmitir com precisão o conflito dos dois personagens.

O livro é, em grande parte, narrado em terceira pessoa, o que dá uma melhor e mais ampla visão dos acontecimentos. A única parte em que o livro é narrado em primeira pessoa é justamente quando “entramos” na mente do assassino. São passagens aterradoras- é perturbador testemunhar a completa loucura e obsessão de homem. O assassino aqui não é um pé-de-chinelo qualquer, pelo contrário, ele é culto e inteligentíssimo e por isso, muito mais perigoso.

O Cirurgião é inquietante e perturbador. O livro é uma mistura de policial de procedimento (estilo CSI) e suspense de detetive. Com certeza, após a leitura, um bisturi terá um significado totalmente diferente daquele com que estamos acostumados. Eu sei que é lugar-comum dizer isso, mas este é aquele tipo de livro que a gente não consegue largar enquanto não terminar. Forte, impactante e incrivelmente intenso.

Não é uma leitura recomendável para aqueles que impressionam com facilidade mas é ideal para quem ama um bom thriller.

Recomendo.

Ah, e a propósito, a Dra Maura Isles não aparece.

Comentário “Spoilado” sobre o final:

[SPOILER]
**Eu gostei do final aconteceu , porém , eu acho que quem deveria ter salvo Catherine e prendido o Cirurgião deveria ter sido Moore e não Rizzoli. Ele era o principal, *ele* estava envolvido com a doutora.*
[SPOILER]





A Série
Este é o primeiro livro da série Rizzoli & Isles que tem como personagens principais a detetive de homicídios, Jane Rizzoli e a patologista e médica forense, Maura Isles.

Livro 1- O Cirurgião (The Surgeon)
Livro 2-O Dominador ( The Apprendice)
Livro 3- O Pecador (The Sinner)
Livro 4- Dublê de Corpo (Body Double)
Livro 5- Desaparecidas (Vanish)
Livro 6-O Clube Mefisto (The Mephisto Club)
Livro 7- The Keepsake - Inédito no Brasil
Livro 8- Ice Cold - Inédito no Brasil
Livro 8.5- Freaks- Inédito no Brasil
Livro 9- The Silent Girl- Inédito no Brasil
Livro 10- Last To die - Inédito no Brasil




Outras Capas:






EXTRAS

Site do Autora:www.tessgerritsen.com/
Facebook: facebook.com/TessGerritsen
Twitter: @tessgerritsen
YouTube: AQUI


Cotação:


4/5



Reações: