terça-feira, agosto 07, 2012

@mor, de Daniel Glattauer [Booktour]


Título Original: Gut Gegen Nordwind
Autor: Daniel Glattauer
Editora: Suma de Letras
Gênero: Romance Epistolar
Série: Emmi & Leo- Livro 1
Sub-Gênero/Assunto: Romance Contemporâneo, Amor Proibido
Período: Contemporâneo. Europa.
Num e-mail enviado por engano, começa um relacionamento virtual que testa as convicções de Leo Leike e Emmi Rothner. Leo Leike, ainda digerindo o fracasso de seu último relacionamento, responde de forma espirituosa a duas mensagens enviadas por engano por Emmi Rothner, casada. Inicialmente, ela só queria cancelar uma assinatura de revista. Depois, inclui Leo por engano entre os destinatários de um e-mail de boas festas. Na terceira troca de e-mails, o mal-entendido dá lugar à atração mútua, reforçada pelo fato de um nunca ter visto o outro. Nada como a curiosidade instigada por frases bem encadeadas chegando a intervalos regulares numa caixa postal eletrônica para que os dois se esqueçam dos possíveis impedimentos. A cada dia, Leo e Emmi se sentem mais impelidos a marcarem um encontro. Após trocas contínuas de mensagens, está claro para ambos que o marido dela e as feridas emocionais dele não serão obstáculos para que marquem um encontro. O único obstáculo real é a insegurança de ambos quanto à transformação da fantasia em realidade. A expectativa é uma faca de dois gumes e a realidade pode não estar à altura.





Eu não sei o que escrever. Sério. Eu gostei bastante do livro, mas não adorei. Eu amei Leo. Odiei Emmi. Gostei dos diálogos, mas não sou fã de romances epistolares. Estou confusa sobre o que dizer.
Eu tenho uma opinião formada, mas faltam-me palavras.

A beleza do livro está em seus diálogos, por mais redundante que isso possa parecer. Logo de início nos vemos “enfeitiçados” pelas palavras de Daniel Glauttauer, mais especificamente quando ele fala na voz de Leo. Leo Leike é o verdadeiro cavalheiro andante e é muito difícil não se apaixonar por ele. Leo é um herói romântico perfeito, suas palavras são lindas mágicas, quase um Lorde Byron moderno.

Leo é perfeito, eu me arriscaria a dizer, mas, então eu percebo que eu não conheço Leo. Assim como Emmi, eu conheço apenas o que ele escreve. Da personalidade dele, eu não sei nada. Ele pode ser simplesmente um conquistador barato. Ou não. Quem é Leo? Quais são os sentimentos dele? Realmente.

Emmi , por outro lado, é aquela que também não conhecemos realmente mas dificilmente será diferente da que se apresenta nos emails. É uma chata insuportável. Uma vergonha para o gênero feminino. E, sério, ninguém pode estar fingindo em sã consciência ser tão insuportável. Como bem disse a @ja_santana lá no twitter, a Emmi é “Muito recalque para pouca ação.” , Poucas vezes eu torci para que um casal não ficasse junto no final. ** E talvez por isso eu tenha adorado o final***. Ela é uma hipócrita chantagista.

“Não, Emmi, você não é uma qualquer. Se alguém não é uma qualquer , esse alguém é você. E não o é de forma alguma pra mim. Pra mim, você é como uma segunda voz dentro de mim, que me acompanha durante o dia a dia. Você fez do meu monólogo interior um diálogo. Você enriquece minha vida interior.”
Pág.69


Como eu comentei no início dessa resenha, não sou fã de romances epistolares. Adoro carta como objeto, mas tendo a achar o gênero epistolar um tanto quanto enfadonho. E @mor, infelizmente, não foi diferente. Apesar de alguns diálogos, ou “embates” maravilhosos, eu não senti o livro como uma leitura fluída. Tudo bem que as Olimpíadas atrapalharam mas não foi uma “leitura de sentada”.

É claro que isso é uma questão extremamente pessoal, mas eu nunca gostei disso de ficar “discutindo a relação”. Até quando eu era adolescente, eu pulava a leitura sobre relacionamentos na Capricho (na minha época ainda a “revista da gatinha” #avéia #abafaocaso). Sem achei um saco isso de ficar martelando sobre um mesmo assunto. DR’s sem fim. E em certos momentos , @mor estava se transformando numa D.R. interminável.

“Não se pode repetir os velhos tempos. Como o nome já diz, esses tempos são velhos. Novos tempos não podem nunca ser como os velhos tempos. (...) Não se deve nunca lamentar pelo tempo que passou. Quem lamenta pelo tempo que passou está velho e de luto. Posso lhe revelar uma coisa? Eu não queria mais nada além de voltar pra casa-pro Leo.”
pg. 143.

Ler @mor foi uma experiência incrível e diferente. Apesar de algumas ressalvas, o autor conseguiu criar uma trama atráves apanas da correspondência, por mais “moroso”que tenha me pareciado o livro no inicio, o mesmo foi criando ritmo e tensão no decorrer da leitura. Havia mistério, expectativa nas entrelinhas- e só por isso a leitura já foi única.

Por último, gostaria de fazer um pequeno comentário a respeito do título. Não achei “@mor” ruim. Obviamente foi baseado na versão em inglês, Love Virtually , mas penso que a edição portuguesa se saiu-se melhor com o título Quando Sopra o Vento Norte, que assemelha-se mais com o título original em alemão (algo como ‘Contra o Vento Norte’) e que faz muito mais sentido com a estória além de, ser muito mais poético (pelo menos eu acho!)

E sim, o final é frustrante- mas eu adorei. Foi bem merecido. 

Por mais estranho que isso possa parecer, @mor foi um livro que eu gostei mais depois do término da leitura. De certa maneira, me fez refletir.


“Eu gostaria que a gente continuasse a se escrever. E também gostaria que a gente se conhecesse pessoalmente. Nós já perdemos todas as ocasiões racionais, lógicas, óbvias e devidas para tanto. Negligenciamos as mais simples regras do jogo da proximidade. Somos velhos amigos íntimos, nos apoiamos mutuamente no dia a dia, às vezes somos, sim, até mesmo, como um casal. E em tudo isso nos falta o óbvio começo do primeiro encontro. ”
 -pg. 89



Nestes últimos dias, tenho me sentindo um pouco triste e sozinha. Talvez esteja precisando de um Leo em minha vida. Um Leo idílico.



****

Eu li @mor para o BookTour do Blog Lá No Cafofo da Super Lilian! Eu adoro booktours pois dá a chance de ler livros que às vezes não teria a oportunidade de, além de conhecer e interagir com outras pessoas. Thanks, Lilian pelo convite!



A Série
Livro 1- @mor (Gut Gegen Nordwind)
Livro 2- Alle sieben Wellen - inédito no Brasil. Versão Portuguesa: Emmi e Leo – A Sétima Onda



Outras Capas:

ETCs

BookTour



Cotação:

4/5

Reações: