segunda-feira, junho 17, 2013

Obsessão, de Maya Banks

Gabe, Jace e Ash são três dos homens mais ricos e poderosos do país. Eles estão acostumados a conquistar tudo o que querem. Tudo. Para Gabe, tudo significa realizar uma fantasia particular com uma mulher que era um fruto proibido - e que agora está pronta para ser colhida... Quando Gabe Hamilton viu Mia Crestwell entrar no salão na inauguração de seu hotel, sabia que iria para o inferno pelo que tinha planejado. Afinal, Mia é irmã de seu melhor amigo. Contudo, não é mais uma menininha. E Gabe já esperou muito tempo para colocar seus desejos em prática. Gabe já fez parte das fantasias de Mia há muito tempo, desde que era apenas uma adolescente com uma "paixonite" pelo melhor amigo de seu irmão. Mas o que pode acontecer 14 anos depois? Mia sabe que Gabe é como um sonho inalcançável, mas sua atração só fez aumentar ao longo do tempo. Agora ela é adulta, e não há motivo para não agir de acordo com seus desejos mais secretos.





Maya Banks.

Maya Banks foi a principal por eu querer ler Obsessão. E também foi a minha principal razão dos problemas que eu tive com o livro.

Maya Banks é uma conhecida autora de livros eróticos. Apesar de não ter lido muitos livros delas, li alguns, poucos, todos em versão que-não-deve-ser-nomeada mas abafa o caso! O que eu mais gosto na Maya é a qualidade de sua escrita “fora” da cena sexual, muito superior às outras autoras do gênero. Os livros dela são eróticos, sim, mas ela também conta uma história, mas conta uma muito bem. E era por isso que eu queria ler Obsessão.

O meu problema com Maya era justamente em relação ao sexo. Se por um lado, eu adoro o fato que ela sabe “diversificar” bastante os fetiches sexuais e não ter medo de tabus, por outro, tenho a impressão que ela força a mão. É como se, em vez de querer excitar o leitor, ela quisesse, chocar. Infelizmente, eu senti essa mão pesada e necessidade de “chocar” em Obsessão.

Claro que não foi só o nome da autora que me chamou a atenção em Obsessão . A história também. Mocinho mais velho que finalmente resolve se aproximar da irmãzinha mais nova do melhor amigo? Como não amar? Tá bom, era BDSM mas era amor proibido e Maya Banks, né? Mas eis que a autora me aparece com uma história de contrato! Sim, CONTRATO. Honestamente, Maya Banks já tem nome na literatura erótica. Não precisava pegar carona em 50 tons! Achei simplesmente ridículo. Ridículo. Só por isso a história já perdeu 1 estrelinha.


***
Preferência é uma palavra que praticamente se autoexplica. Preferência é algo particular. E preferência em relação à fetiches sexuais é mais particular e individual ainda. Tem uma prática, por assim dizer, que acontece no livro, que algumas pessoas podem achar excitantes. Eu achei desagradável . Só fiquei pensando se acontecesse alguma necessidade fisiológica .

Por outro lado, tem uma cena, bem controversa, que muitas leitoras odiaram e que eu, honestamente, em princípio, achei que seria bem excitante. Em princípio, não o que transcorre depois, obviamente (quem leu sabe do que eu estou falando). Mas eis que mesmo que não tivesse que aquele desfecho eu senti que a cena foi, por assim dizer, mal executada. Senti, mais uma vez, aquela necessidade da autora de “chocar a plateia”. Ou leitor, no caso. Não houve sensualidade. O erotismo passou longe e isso me incomodou.

Outra coisa que eu gostaria de destacar é em relação ao BDSM em si. Ou a forma como a prática é mostrada. Como muitos já estão cansados de saber, este não é o meu fetiche favorito, mas eu já li alguns livros com o tema, sendo os mais recentes os da trilogia Luxúria, da Eve Berlin. Tanto nos livros da Eve quanto nos outros, mesmos que os praticantes fossem pessoas com alguns tipo de trauma, ou o que quer seja, o BDSM não era encarado como um problema. Era apenas uma prática, um estilo de vida.
Em Obsessão, isso não parece acontecer. Gabe não descrito como o “cara traumatizado”; ele apenas gosta do “sadomasô”. Mas, honestamente, ele não me parece feliz. O BDSM é apresentado quase como se fosse uma coisa suja, ruim e não sexy e prazerosa. Senti como se autora, mais uma vez, quisesse dar o toque de “vamos chocar” e perdesse a mão.

Acho que a função principal da literatura erótica é dar prazer, provocar prazer, mas muitas vezes a autora parece não achar o mesmo.

Tudo isso não quer dizer que eu odiei o livro. Pelo contrário. Parece estranho falar, mas tirando a parte sexual, eu achei a história em simuito legal. Maya é sim uma ótima contadora de histórias e com certeza uma das mais talentosas autoras de literatura erótica no que diz respeito ao desenvolvimento de trama e personagens.

Obsessão, obviamente, é sobre o relacionamento de Gabe e Mia, mas o livro não fica fechado somente nos dois. É possível ver que existe vida além. Gabe trabalha, Mia tem amigas, sai, se diverte. É claro que existe a questão do dominador e tudo mais, mas não é um mundo fechado.

Eu gostei bastante dos personagens secundários como a melhor amiga de Mia, Caroline. Além disso, posso dizer, que mesmo não aparecendo muito, Jace, o irmão de Mia e Ash, melhor amigo de Gabe e Jace me conquistaram logo de cara. Pra ser sincera, gostei mais de Ash do que Gabe.

Não sei exatamente o por quê, mas Gabe não me conquistou totalmente. E nem foi pelas melecas que ele faz. Ou também por causa delas. Eu o senti inconstante. Para um dito dominador, ele era muito frouxo. Isso volta a questão do BDSM. A forma como ele encara as suas preferências. Apesar do jeito dele totalmente desesperado e preocupado em alguns momentos chegava a ser fofo.

Mia, por outro lado, eu gostei dela. Apesar de achar que ela sedia muito facilmente em vários aspectos, Mia deixava bem claro seu ponto de vista.

Porém, apesar das minhas reservas em relação à Gabe, eu gostei dos dois quanto casal. Eles combinavam. E isso dele ser mais velho e ela a irmãzinha do melhor amigo dava um toque todo especial. Romântico.

Sem contar, que é muito bom (desculpe, rapazes!) ver homem sofrendo depois de ter pisado-e feio- na bola. Ah, como é bom. Não adianta negar, mulherada, todas nós adoramos esse momento! E Gabe sooooofre . Tive meus problemas com a Maya (olha a intimidade!) mas adorei ela nisso!

E o final é super fofo. Me deixou com um sorriso no rosto e quase- quase- me fez esquecer dos problemas do livro.

Obsessão tem uma escrita envolvente e um ritmo ágil, mas, de forma alguma, é para todos os públicos.


O PS: Essa é uma crítica referente não somente à esse livro especificamente mas às várias outras histórias : autores e autoras, sejam mais criativo(a)s quando descreverem o primeiro encontro sexual. É SEMPRE a mesma coisa! Dedos, pernas ao redor da cintura, chuveiro, chuveiro. Criatividade, meu povo!





Título Original: -Rush
Autor: Maya Banks
Editora: Quinta Essência
Gênero: Erótico
Série: Breathless- Livro 1
Sub-Gênero/Assunto: Romance Contemporâneo, Milionários, Amor de Escritório, BDSM, Amor Proibido, Mocinho mais Velho
Período: Nova York EUA, dias atuais.


A Série

Livro 1- Obsessão (Rush) [RESENHA]
Livro 2- Delírio
Livro 3- Fogo

Outras Capas:



3.5/5

Reações: