quinta-feira, agosto 08, 2013

Lola e o Garoto da Casa ao Lado, de Stephanie Perkins


A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.




Mais uma da minhas leituras para a Maratona Literária.

Lola e o Garoto da Casa ao Lado é uma espécie de continuação de Anna e o Beijo Francês. Eu digo “espécie”por que apesar de serem histórias totalmente diferentes e independentes, Lola e Anna fazem parte do mesmo universo. Mais do isso, a adolescente Lola é amiga e trabalha junto Anna em um cinema em San Francisco. Cinema esse também frequentado pelo foférrimo Etiénne . Ou seja, Não é preciso ler Anna e o Beijo Francês para ler este livro mas eu indico muito porque aquele livro é lindinho demais. Um favorito meu.

Dolores Nolan, ou simplesmente, Lola é uma adolescente um tanto espevitada que adora se vestir de maneira “original” e acha o máximo estar namorando um cara mais velho e ainda por cima, roqueiro, Max. Tudo na sua vida ia bem até mesmo a implicância de seus pais com seu namorado parecia poder ser contornada. Ia tudo bem. Até o retorno dos antigos vizinhos da casa ao lado.

Entre eles, os gêmeos Calliope e Cricket Bell.

Especialmente Cricket Bell. O mesmo Cricket que tinha magoado Lola no passado e que ela jurou odiar pra sempre. O problema é que Cricket voltou mais velho, mais lindinho e... um amor de pessoa!

E como fica o Max nisso?

Ah, e para complicar ainda mais as coisas, a mãe biológica de Lola resolve dar as caras.

Lola e o Garoto da Casa ao Lado é um divertido e leve romance jovem adulto. “Mas, hey! Você não vive dizendo que não é muito fã de YAs , Thaís?” Sim, mas como também disse, eu amei Anna e o Beijo Francês e a escrita leve e descompromissada de Stephanie Perkins.

A escrita de Perkins faz toda a diferença. Os adolescentes retratados não são “aborrecentes” nem adultos em miniatura. Além disso, tudo é tratado de forma bem leve e com bastante humor. Aliás, paradoxalmente, acho que essa é uma das falhas do livro. A falta de aprofundamento em certos assuntos, como a relação de Lola com a mãe, alcoólatra e viciada em drogas. É ótimo ler um livro tão leve mas justamente por ser um livro voltado para adolescentes acho que esse tema poderia ter sido melhor explorado.

Além disso, não vou mentir, toda essa celeuma de “triângulo amoroso” me cansa um pouco. Ainda mais quando uma das arestas é tão facilmente podada. A Escolha fica muito fácil, penso eu.

Uma das coisas que eu mais gostei no livro foi a relação de Lola com seus pais. Pais, no sentido de dois pais. Sim, ela é criada por um casal homossexual e está super okay com isso. O que eu gostei é que isso é apresentado de forma bem natural e não parece forçado ou é apresentado como a “cota da minoria” como vem acontecendo em muitos livros atuais, principalmente Chick-Lits. Como Lola mesmo diz, não tem o homem e a mulher da relação. Seus pais são dois homens – que são gays; e que levam muito a sério a missão de criar uma filha adolescente. Acho até que, apara quem tem algum preconceito com esse tipo de relacionamento, este é um bom livro para ser lido. Pais superprotetores não são muito diferentes uns dos outros, sejam eles gays ou não.

Lola é uma protagonista encantadora; em nenhum momento chata ou insuportável. Claro, ela tem os seus “momentos de adolescente” mas é um ser pensante que, até em suas “loucuras” tem algo de racional. E Cricket...ah, Cricket! Ele não chega a ser um Étienne mas o garoto tem futuro. Fofo à enésima potência, mas sem ser bobão. (ah, se eu tivesse uns 20 anos à menos! #perva)

Comparado com seu antecessor, Lola e o Garoto da Casa Ao Lado sai perdendo, mas mesmo assim está anos-luz de muitos livros do gênero por aí. Eu me apaixonei por Anna. Eu adorei Lola. Simples assim. San Francisco, com certeza, NÃO é Paris mas tem o seu charme!

É o tipo de livro que te deixa com o coração leve e um sorriso feliz no rosto.


Recomendo!


Escondidinho:  Pergunta Spoiler para quem leu Anna:

*A mãe de Etienne não morre naquele livro?*

Título Original: Lola and the boy next door
Autor: Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Gênero: Jovem Adulto (YA)
Série: Anna e o Beijo Francês- Livro 2
Sub-Gênero/Assunto: Triângulo Amoroso, Romance Contemporâneo
Período: Dias Atuais. San Francisco, EUA

Série

Livro 1- Anna e O Beijo Francês
Livro 2- Lola e o Garoto da Casa ao Lado
Livro 3- Isla and the Happily Ever After

Outra Capa:




4/5

Reações: