quarta-feira, janeiro 21, 2015

Meu Adorado Vizinho, de Deborah Shelley



" Amor à primeira... declaração!

Um emprego numa pacata cidadezinha do interior era tudo que Stephanie precisava para tornar-se independente e viver longe dos irmãos que, por serem mais velhos e oficiais de polícia, julgavam-se no direito de controlar sua vida. Porém, quando o atraente chefe de polícia local a fez parar na estrada por excesso de velocidade, Stephanie viu-se de volta aos braços da lei. Só que ela não esperara que fossem braços tão convidativos... Scott Forrest levava a sério seu trabalho como guardião da cidade. Mas ao descobrir que o "perigo" mais belo e tentador que já vira numa estrada, era também sua vizinha, viu-se diante do desafio de ensinar Stephanie a obedecer as leis e conduzi-la, quem sabe, pelas estradas do amor! "




Livro Gracinha.

Stephanie não queria muitas coisas da vida. Agora em uma nova- e pequena cidade- ela esperava se dar bem em seu trabalho como bibliotecária e, claro, encontrar sossego. Principalmente sossego. Não que a vida de Stephanie fosse até aquele momento um mar de aventuras. Muito pelo contrário. Porém, como a irmã mais nova de quatro homens, todos policias não tinha sido fácil!

Afinal, ela já era uma mulher adulta e estava bem cansada do controle e proteção excessivas dos irmãos. E nada como morar sozinha, em uma pequena cidade, longe de tudo, para ter o sossego e liberdade que tanto almeja.
Sem policiais por perto.

Ah, ledo engano! Não é que justamente o novo vizinho dela é justamente...um homem da lei?! E dos mais possessivos. E pior, danado de sexy e bonito.
Pobre Stephanie!

Meu Adorado Vizinho é um livrinho extremamente simpático de leitura rápida. A relação entre Stephanie e Scott, o vizinho, é quase de gato e rato, mas nada irritante e muito espirituosa. Sem contar que os quatro irmãos dela são um destaque á parte. Geralmente não gosto de ver gente se metendo na vida dos outros (tipo aquela amiga enxerida dos chick-lits, sabe?) mas aqui não me importei nem um pouco. Deu tempero! E graça. O humor faz parte da história e não é algo forçado. A gente ri involuntariamente.

Sem contar que como casal os dois são ótimos. A química é imediata. Uma pena o livro ser tão curtinho- e sim, provavelmente teve “cortes” da falecida Nova Cultural, mas assim vale bastante a pena dar uma conferida. É uma leitura simples e descompromissada, ideal para aquelas tardes tediosas.
Vale a Pena a Leitura.


Título Original: Talk About Love
Autor: Deborah Shelley
Editora: Nova Cultural
Coleção: Sabrina 1431
Gênero: Romance Contemporâneo
Sub-Gênero/Assunto: Romance de banca,Homens da Lei, humor
Período: EUA. Anos 90.


Capa Original:




3/5


Reações: