terça-feira, setembro 24, 2013

Aposta Indecente, de Matilda Wright


Paris, 1854. Um dos homens mais ricos da França, o marquês de Villeclaire tem uma vida luxuosa e despreocupada, onde não falta nada que o dinheiro e a sua posição social possam pagar. Mulheres, jogo, festas, caçadas, palácios… Mas uma aposta faz com que os destinos de Villeclaire e Catherine Duvernois, uma jovem e misteriosa viúva, se cruzem, numa fase em que uma nuvem negra assombra os dias do belo marquês, prestes a casar, contra sua vontade, com Blanche de Belfort. A vida de Louis de Villaclaire desmorona-se… Quem é Catherine Duvernois? E Blanche de Belfort? Alguém está mentindo. Mas quem? Por quê? A resposta mudará para sempre o futuro destas três personagens. Um romance arrebatador, que se desenrola entre os sofisticados salões da aristocracia parisiense e as deslumbrantes paisagens do vale do Loire, levando os leitores numa viagem inesquecível por cenários de sonho, durante o reinado do Imperador Napoleão III.



Decepção. Uma grande decepção. Eu queria muito ter gostado de Aposta Indecente, mas infelizmente isso não aconteceu.

Não que eu esperasse encontrar um esplendor da literatura romântica, afinal, as poucas críticas que eu havia lido não eram muito favoráveis, mas eu tinha esperanças de gostar da história. Um pouco , pelo menos. A história parecia ter os ingredientes perfeitos para me agradar: além de ser um romance histórico, que eu adoro, tinha uma sinopse interessante e uma bela capa.

Infelizmente, a escrita da autora não me cativou. Porém, esse não foi o principal motivo que me fez desgostar da livro. O problema foi a falta de romance. A total, completa e absoluta falta de romance. Aliás, estou procurando o romance desse livro até agora...

E falta de romance num romance romântico é simplesmente fatal. Não estou dizendo que há poucas cenas de amor; não. Eu já li romances com pouca interação romântica entre os protagonistas, mas, que foram ótimos. Podia não haver beijos ou sexo, mas havia “interação”. Intenção. Aqui não teve nada. Catherine e Louis mal se falam. Eles mal se veem! E se ainda tivesse havido um romance epistolar, sei lá. Mas não teve nada!

Ele ficava em Paris; Ela no Vale do Loire. Um não gostava do outro. E só.

O pior ainda foi, ao final, quando acontece a tão esperada declaração de amor, eu fiquei totalmente incrédula. Eles nem se falavam e de repente ele diz que a ama loucamente? Não sei de onde surgiu aquele amor todo.

Decepção.

Eu até gostei da ideia (inicial) do livro e achei interessante alguns aspectos da leitura, como a apresentação da vida em Paris e até mesmo a ideia de outra mulher...atrapalhando. Gostei também da criada de Catherine e da ama de Louis. Pode-se dizer que o livro apresentou personagens coadjuvantes (e possibilidades de subtramas) mais interessantes que o próprio casal central. Além disso, é sempre bom ler um romance histórico que não se passe na Grã-Bretanha de sempre ou no Velho Oeste Americano. Afinal, a França é sempre um charme à parte. O livro, apesar de tudo, tem uma ótima reconstituição histórica e ambientação e esse foi um dos principais motivos para que eu desse 2 estrelinhas ou invés de apenas 1,5.

Em algumas passagens, não sei explicar por que, o livro me lembrou aqueles romances portugueses do século XiX, principalmente quando retratava Louis e seus amigos.

A única parte que eu realmente gostei do livro, descontando pedaços soltos, foi o “acontecimento” (sem spoilers!) ao final e que finalmente faz com que Louis e Catherine se encontrem. Foi o tipo de acontecimento de apesar de ter me feito revirar os olhos, deu uma animadinha na trama. Pena que o livro já estava praticamente no final. Penso que a autora poderia ter desenvolvido mais a partir dali, estabelecendo uma relação real entre o casal. E não estou falando de sexo.

Infelizmente, isso não aconteceu.

Aposta Indecente simplesmente não funcionou comigo. Porém, pode ser que outras pessoas venham a amar o livro. Leia e tire as suas próprias opiniões.



Observação

Existem poucas, eu diria pouquíssimas informações sobre esta obra e, principalmente, sobre a autora. Aparentemente, ela é britânica e “Mathilda Wright” é um pseudônimo. O livro não apresenta titulo original em inglês e foi lançado, além do Brasil, em Portugal.
Um mistério.


Título Original: Não Informado
Autor: Matilda Wright
Editora: Quinta Essência
Gênero: Romance Histórico
Sub-Gênero/Assunto: Amor e Ódio
Período: 1854. Paris.

A versão digital deste livro me foi gentilmente sedida pela Editora Quinta Essência para resenha.


Cotação:

Reações: