segunda-feira, setembro 16, 2013

O Projeto Rosie, de Graeme Simsion



Perto de completar 40 anos, o peculiar professor de genética Don Tillman havia desistido do amor. Para acompanhar sua rotina severamente cronometrada, com esquema de refeições padronizadas, um cronograma para a execução de cada compromisso (inclusive para a prática de exercícios físicos antes de dormir) e lidar com sua falta de habilidade social, só mesmo a mulher perfeita. E ele já sabe como encontrá-la. Ou pelo menos acha que sabe. Ele desenvolve o projeto Esposa Perfeita, um questionário meticuloso que irá ajudá-lo a selecionar candidatas adequadas a seu estilo de vida. Mas quando Don conhece a jovem Rosie ele descobre que nem tudo na vida pode ser programado... e que o amor pode, de repente, vir a seu encontro.



Livro adorável. Fofo mesmo.

O Projeto Rosie é um representante da chamada “Lad Lit”, ou mais especificamente a versão masculina dos Chick-Lits (um outro exemplo, acho eu, seria, O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick). Eu, particularmente, tenho um certo probleminha com Chick-Lits. Não odeio mas me incomoda como 90% das vezes, as mulheres são retratadas como idiotas movidas à álcool. Me cansa.

Anyways.

O Projeto Rosie é a história de Don Tillman, um professor de genética de quase 40 anos, com sérios problemas de convívio social e que está em busca de de uma esposa e para isso resolve fazer o “Projeto Esposa” a fim de encontrar a “Mulher Ideal”. É claro que isso não será nada fácil e ele acaba se aproximando de Rosie, a mulher mais “errada” possível.

Mais do que uma história de amor entre uma garota descolada, Rosie, e um cara “certinho demais”, o livro fala sobre a amizade desses dois. Uma amizade que vai crescendo apesar de todas as impossibilidades; e foi isso que mais me encantou. Antes de qualquer coisa, Don e Rosie tornaram-se amigos.

Eu geralmente não sou fã de livros narrados em primeira pessoa, porém, como aqui o ponto de vista é de Don, ou seja, é masculino, a leitura me agradou desde o começo. Eu sempre gostei de pontos de vistas masculinas e aqui não foi diferente. A objetividade, racionalidade e- até certo ponto- inocência de Don me encantaram. É subentendido que ele é portador da Síndrome da Asperger. Embora ele não saiba, ou simplesmente não admita isso.

O Projeto Rosie é basicamente uma comédia romântica, com um casal altamente improvável e um final que desde o início já imaginamos qual seja, mas isso pouco importa, pra falar a verdade. O livro é leve e incrivelmente divertido, apesar de muitas vezes eu sentir um peso no coração pela falta de traquejo social de Don. Ele, aliás, não só é o protagonista-narrador mas é a “luz” desta história. Impossível não gostar nem que seja um “tiquinho” dele, por mais “estranho e diferente” que ele possa parecer. Aliás, devo confessar que deparei com algumas “semelhanças” com ele. Tipo, eu também não choro com livros e filmes. E casamentos. E... bem, vocês entenderam.

“As pesquisas mostram sempre que os riscos do consumo de álcool para a saúde superam os benefícios. Meu argumento é que os benefícios para a *saúde mental* justificam os riscos. ”
                                                                                  ~como não amar o Don? :D


Este é um livro de leitura rápida, da categoria “sorriso no rosto” e sentimento de pena por acabar tão rápido. Infelizmente, não é uma obra livre de defeitos. Acho que os maiores deles são a falta de uma maior explicação da “condição” de Don como Portador de Asperger (acho que teria sido bem interessante se o autor tivesse se aprofundado mais nesse assunto, apesar desse livro ser notadamente algo “leve”) e o final um tanto quanto abrupto. Eu adoro finais felizes. Nessa etapa da minha vida, ando muito velha pra tragédias e dramalhões, mas eu gostaria de um pouco mais de desenvolvimento. Foi tudo muito rápido, a meu ver.

De qualquer forma, O Projeto Rosie foi uma leitura maravilhosa, que me deixou com o coração leve e com uma vontade imensa de abraçar Don Tillman.

Recomendo!

O P.S: Adorei a menção à Barbara Cartland! :P (pág 210)
Título Original: Easy
Autor: Graeme Simsion
Editora: Record
Gênero: Lad Chick
Sub-Gênero/Assunto: Romance Contemporâneo, Imperfeições, Humor
Período: Contemporâneo. Melbourne, Austrália e Nova Iorque, Eua.

Outras Capas:
A capa nacional é uma lição para muitos capistas (gostei também da original, Australiana). Simples e “limpa”, ela tem todos os elementos do livro. Muitos capistas de livros nacionais precisam aprender isso. Infelizmente, tenho visto muita capa feia por aí.


4/5

Reações: