segunda-feira, setembro 01, 2014

Bienal do Livro de São Paulo- Edição 2014


E mais uma Bienal do livro se veio e se foi.

Eu sou apaixonada por Bienais. Sério. A primeira que eu fui foi em 1992 e ainda era no Pavilhão da Bienal lá no Ibirapuera e desde sempre faço o possível para participar de todas as edições desde então (não foi possível, mas posso dizer que fui em muuuitas).
Esta Bienal de 2014, em particular, parecia que ia ser especial. Eu estava cheia de expectativas... e bem, vocês sabem o que dizem sobre ter muitas expectativas, né? Pois é. Como estou muito atribulada no trabalho, só poderia ir duas dois. Escolhi os dias 23 (o primeiro sábado) e dia 29 (sexta-feira). O sábado seria o dia que eu FINALMENTE iria encontrar (e conhecer)as meninas que eu só conheço on-line.

Bruna, Ana Carla, Barbara, Rosana, Hérida...

Ah, estava tão empolgada!

Juntamente com minha mamis e companheira de viagem, saí cedinho de casa, no sábado. Santos não é muito longe de Sampa, mas estrada é sempre estrada mas foi tudo normal... até eu chegar ao metrô. Eu devia começar a desconfiar que o dia seria difícil. O Metrô, que geralmente é super rápido, parecia mais “lerdo” que o normal nas paradas e tive a sensação que o trajeto até a Estação Tietê demorou séculos!

Pois bem, finalmente cheguei no Tietê para poder pegar o transporte gratuito para a Bienal e... FILA QUILOMÉTRICA! Isso sem contar o calor senegalesco. Sério, WTF São Pedro?! São Paulo, no inverno, e fazendo calor?! Eu sabia que haveria um encontro da Intrínseca às 10 horas. Não sou parceira e nem pretendia ir, mas queria estar na “porta” no final do evento para ver se encontrava as meninas. Bem, com a fila e o tempo correndo, percebi que não daria tempo.

E não deu mesmo. Chegando à Bienal, fui comprar o meu ingresso e deparei com uma MULTIDÃO e muita, mas MUITA desorganização. Isso sem contar a fila. Se eu não tivesse vindo de Santos juro que teria desistido.

O fato é que só consegui entrar na Bienal lá pelas 14:30! E não encontrei ninguém. NINGUÉM conhecido. Só vi multidão e adolescentes histéricas gritando, hora o nome da plagiadora Cassadra Clare, hora o nome da Kiera Cass. Uma garota estava em lágrimas por que conseguiu o autógrafo da Luiza Trigo ( é este o nome?). Sério mesmo? Para o mundo que quero descer!

Vi pouca coisa, comprei menos ainda, já que os estandes estavam intransitáveis. Porém, foi bem interessante ver como alguns estandes/editoras agem em momentos assim, de grande confusão. O pessoal da Arqueiro, da Universo dos Livros e Pandorga foram destaques positivos. Super simpáticos e atenciosos. Na Intrínseca, eu achei o pessoal um pouco esnobe e a mulher que tava lá só passava informações erradas. Agora, o problema foi a Novo Conceito. Como Sempre.

Logo que cheguei passei por lá para dar olhadinha. Obviamente ninguém veio falar comigo, nem com ninguém que não fosse parceiro. Tudo bem, já me acostumei com isso. Eu até ajudei umas garotas que queriam um livro mas não tinha ninguém para dar informação(!). Lá eu achei dois livros da Lisa Gardner que me interessaram e estavam com um preço super bom. Como a fila tava grande, decidi voltar mais tarde. E voltei. Eram quase 9 horas. Eu tinha perdido o encontro da Arqueiro e como o estande da NC tava vazio resolvi que era comprar os dois livros que eu queria. Bem, queria mas não consegui! Apesar do estande estar praticamente vazio, o pessoal da editora havia fechado a “entrada” e organizado uma fila (!!) para poder entrar . O_o Na fila, as pessoas estavam impacientes, queriam saber o motivo daquilo. Não tinha ninguém para responder, afinal o pessoal da editora estava conversando com umas blogueiras na “área VIP”.
Fui embora.

O primeiro dia de Bienal acabou sendo estressante, com poucas compras, pouquíssimos marcadores e muito stress. Porém, no final das contas, eu gostei- e já estava me preparando para voltar no dia 29.

Comprinhas do dia 23. Com aquela muvuca toda, não consegui comprar muita coisa!


Ah, o dia 29 foi tão mais tranquilo! Sim, tinha bastante gente, mas dava para se movimentar e, principalmente, comprar! E pode ter certeza que eu comprei! Menos do que eu gostaria, mas o suficiente para entrar em contenção de gastos neste próximo mês!

Eu até voltei na Novo Conceito para comprar os livros que não havia conseguido no sábado mas, vejam só, os livros haviam acabado! Claro que eu reclamei e o homem da editora simplesmente virou a cara e saiu andando. Que ódio! Sabe, o que mais me chateia é que em toda Bienal, acontece algo do Gênero com a Novo Conceito. Eu gosto muito dos livros da editora, mas me parece que eles dão mais valor para quem é parceiro do que para o leitor (consumidor!) comum.

A Bienal deste ano teve um sabor meio agridoce. Apesar de tudo, eu adoro aquela profusão de livros e pessoas, mas fiquei bem chateada e frustrada por não ter (finalmente!) conhecido as meninas. Além disso, achei que faltou “algo” no evento. Tirando raras exceções, os preços não estavam convidativos e até mesmo estandes conhecidos pela promoções como Top Livros e Livraria São Marcos não estavam tão atraentes como em edições anteriores. Aparte boa é que consegui comprar alguns pockets por um precinho bem camarada.

De qualquer forma, apesar de tudo, valeu a pena ter ido. Fiquei com dores nos pés e nas costas? Com certeza. Gastei bastante dinheiro, me irritei? É claro! Mas, sabe, no fundo, eu sei que faria tudo de novo.

Ano que vem tem o Rio de Janeiro. Se tudo der certo, lá vamos nós!
~**~

O dia 29 foi beeem mais produtivo!








Não esqueça de participar do Top Comentarista! AQUI

Reações: