segunda-feira, dezembro 01, 2014

Jogos do Prazer, de Madeline Hunter

A bela Roselyn Longworth já aceitou seu destino. Depois que o irmão fraudou o banco em que era sócio e fugiu do país levando o dinheiro dos clientes, suas finanças ficaram arruinadas, assim como suas chances de conseguir um bom casamento. Por isso foi fácil acreditar nas falsas promessas de amor de um visconde. Mas a desilusão não demorou a chegar: quando Rose não se sujeitou a seus caprichos na cama, o nobre se vingou leiloando-a durante uma festa em sua mansão. Ela acredita que o destino lhe reserva um fim trágico. Ainda mais ao ser arrematada por Kyle Bradwell, um homem que venceu na vida pelo próprio esforço, mas não é bem-vindo nos círculos mais exclusivos. Mas a jovem é surpreendida pela atitude dele, que a trata com um respeito e uma gentileza que ela não recebia desde antes do escândalo envolvendo o irmão. Quando Rose finalmente descobre o que está por trás do comportamento de Kyle, é tarde demais: já foi fisgada pelo homem que conhece seus segredos mais íntimos.



O meu favorito da série até agora. Se nos livros anteriores eu senti uma falta de emoção, conexão com os personagens, aqui eu me envolvi totalmente com a história; e apesar da autora continuar com seu toque de crítica social e algumas cenas serem um pouco mais ácidas e fortes do que normalmente encontramos em livros do gênero, Jogos do Prazer tem uma escrita mais dinâmica e envolvente.

O início do livro me lembrou muito Jo Berveley com uma cena de “leilão sexual” . Madeline Hunter apresenta muito bem o que há d epior na alta sociedade. É neste momento de dificuldade que os caminhos de Roselyn Longworh e Kyle Bradwell .

Rose é o retrato da aristocracia em decadência; empobrecida e arruinada socialmente, ela só tem uma chance de continuar na “sociedade” e esta chance é apresentada por Kyle, que é justamente o que a velha aristocracia mais odeia: o novo, o homem que enriqueceu com o suor do trabalho.

Jogos do Prazer fala sobre um casamento de conveniência entre dois mundos distintos e com que cada qual tem reservas em relação ao outro.
Rose é, em suma, uma garota adorável mas ela tem dentro de si aquele orgulho saudosista daquilo que passou. A família para ela está sempre em primeiro lugar e, por muitas vezes ela parece estar cega demais para avaliar o verdadeiro caráter das pessoas. Ela sabe que Kyle a salvou da ruína, mas por muitas vezes tive a sensação que ela se sentia superior a ele.

Kyle, por sua vez, vive entre dois mundos (o da riqueza e o de seus antigos amigos mineradores e família simples no Norte da Inglaterra) e acaba não vivendo em nenhum, não pertencendo à nenhum. O casamento com Rose foi mais do que um ato de heroísmo ou o degrau para pertencer á sociedade fina. Ao passo que o romance vai se desenrolando, percebemos que existe mais neste acordo.

Jogos do Prazer foi uma leitura envolvente, apesar de seu ritmo mais lento. Rose e Kyle não são um casal que se apaixonam a primeira vista. Muito pelo contrário. A paixão, e o amor, começam a surgir através da convivência e da amizade que é construída.

Além disso, percebi toques de humor na escrita, algo que senti falta nos outros livros.

É um belo livro que dá uma refrescada em uma série que começou um pouco morna mas que se provou digna de ser seguida.
E que venha o último livro!


Série

Livro 1-As Regras da Sedução
Livro 2-As Lições do Desejo
Livro 3- Jogos do Prazer
Livro 4- Segredos de um Pecador


Título Original:
Autor: Madeline Hunter
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance Histórico
Série:-Rothwells- Livro 3
Sub-Gênero/Assunto: Casamento por Conveniência.
Período: Regência. Inglaterra
Outras Capas:
4/5

Reações: