quinta-feira, fevereiro 04, 2016

[Resenha] A Próxima Vítima - Julie Garwood

“O Detetive Alec Buchanan considera a oferta recebida para ocupar uma posição de destaque no FBI a oportunidade perfeita para deixar Chicago, onde mora, e seguir os passos de seu irmão, ascendendo ao alto escalão dos responsáveis pela manutenção da lei. Mas, primeiro, ele precisa realizar uma última tarefa - atuar como guarda-costas de Regan Hamilton Madison, herdeira de uma cadeia de hotéis. A charmosa executiva se vê envolvida em negócios perigosos quando alguém lhe envia uma foto da cena de um crime. Regan suspeita que o problema tenha começado quando concordou em ajudar uma amiga jornalista a desmascarar um guru de auto-ajuda charlatão que se aproveitava de mulheres solitárias e vulneráveis. 
Na esperança de encontrar alguma prova, Regan participa de um seminário de Shields. Durante o encontro, o psicólogo persuade seus convidados a tomarem parte de um exercício de limpeza. Ele pede que faça, uma lista de todas as pessoas que, através dos anos, os tenham magoado ou enganado, e lança uma pergunta Seu mundo seria melhor se estas pessoas deixassem de existir? Regan joga o jogo. A experiência fica esquecida, até que a primeira pessoa da lista de Regan aparecesse morta. O choque se transforma em horror quando os outros nomes da lista também começam a aparecer mortos e uma terrível dança de morte e desejo é desencadeada.”


Um bom suspense romântico.

O quarto livro da série Buchanan-Renard não é tão bom quanto seu antecessor (Prazer de Matar) mas mesmo assim contém uma história interessante e prende a atenção desde as primeiras páginas.

Regan é uma herdeira de uma famosa rede de hotéis que, após um exercício, em um seminário de motivação se vê em uma situação delicada. Neste seminário, uma das tarefas era escrever uma lista de pessoas que ela gostaria que fossem “eliminadas”. A intenção era queimar esta lista após o término da palestra, mas acontece um imprevisto e isto não acontece.

Claro que isso não seria nada demais- se as pessoas na lista de Regan não começassem a morrer.

É aí que entra Alec Buchnan, um detetive de Chicago que tem como última missão antes de ir para o FBI , justamente servir de “guarda-costas” de Regan. Claro que ele não está muito feliz com a incumbência, porém, como este seria seu último trabalho, resolveu aceitar sem maiores questionamentos.

Não seria nada muito difícil, certo? Bem, provavelmente ela era apenas mais uma riquinha mimada, mas, ele saberia lidar.

Acontece que Regan é tudo menos uma deslumbrada cheia de mimimis e quando o assassino começa a tentar entrar em contato com ela- e a matar mais gente- Alec percebe que tudo pode ser muito mais difícil.

Um livro bem legal. Eu uso a palavra legal porque eu acho que é a que melhor adjetiva A Próxima Vítima. Para quem é acostumado a ler romances policiais, o desenvolvimento da trama pose até parecer um pouco previsível, mas a autora sobe usar muito bem dos clichês.

Alec é um típico herói, com aquela mistura adorável de “macheza” e fofura. Ele e Regan formam um bom par, apesar de ter achado ela um pouco passiva demais em relação à algumas coisas.

Eu não diria que A Próxima Vítima é uma trama extremamente emocionante, porém a combinação de bons personagens e um plot interessante dá uma liga absurda. Os personagens, até mais que a história (em alguns momentos) fazem toda a diferença. E não estou falando apenas do casal ou do vilão. Os ditos “coadjuvantes” realmente contribuem com a leitura.

Mas falando em vilões, em A Próxima Vítima a autora novamente usa o artifício de colocar a narrativa sob o ponto de vista dos “mocinhos” e do “vilão”. É uma decisão muito acertada; Dá uma outra dinâmica- e compreensão- à história.

O livro não apresenta exatamente um mistério mas eu gostei que, quando a gente pensa que já sabe de tudo, a autora nos faz mais uma surpresinha.

Além disso, o lado policial da trama está sempre em evidência- mesmo quando o romance surge.

Como eu disse anteriormente, este livro não não tão bom quanto o anterior mas é uma leitura mais do que indicada.

Aliás, não canso de repetir, a série toda vale a pena.

Recomendo!


A Série:

Tragédia, este é o teu nome. A série Buchanan/Renard estava sendo lindamente publicada pela Editora Landscape, porém, oh, porém, a editora MORREU. FALIU. Pois é. Espero sinceramente que outra editora passe a publicar não somente esta série mas também os outros livros da autora. De qualquer forma, ainda vale MUITO a pena ler os livros lançados no Brasil (sebos!) . Afinal, temos o Noah...




Buchanan-Renard


1. Heartbreaker (2000) - A Confissão.
2. Mercy (2001) O Testamento
3. Killjoy (2002) – O Prazer de Matar
4. Murder List (2004) - A Próxima Vítima.
5. Slow Burn (2005) - Marcada para Morrer.
6. Shadow Dance (2006) - A Dança das Sombras.
7. Fire and Ice (2008) - Fogo e Gelo.
8. Sizzle (2009) - Ainda não publicado no Brasil.
9. The Ideal Man (2011)- Ainda não publicado no Brasil.
10.Sweet Talk (2012)- Ainda não publicado no Brasil.
11.Hot Shot (2013)- Ainda não publicado no Brasil.
12.Fast Track -



Título Original: Murder List
Autor: Julie Garwood
Editora: Landscape
Série Buchanan-renard
Gênero: Suspense Romântico
Sub-Gênero/Assunto: Crime e Mistério, Homens da Lei, Serial Killer
Período: Atual. Chicago, EUA.
Outra Capa:

Acho essa capa tão melhor que a nacional!





4/5

 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

Reações: