terça-feira, setembro 20, 2011

Esposa Fora-da-Lei, de Ana Seymour


Título Original: Outlaw Wife
Autor: Ana Seymour
Editora: Nova Cultural
Gênero: Romance Histórico
Coleção: CH 121
Sub-Gênero/Assunto: Romance de Banca, Casamento de Conveniência, Ladrões, Country
Período: EUA, Meio-Oeste. Séc. 19
A beleza celestial de Wendy Davis não podia esconder o fato de ela pertencer a um bando de foras-da-lei. Ainda assim, o fazendeiro Simon Grant devia-lhe a vida, e a única maneira de retribuir o favor era salvá-la da forca? casando-se com ela!Agora, Wendy só tinha um jeito de recompensar Simon por ter-lhe aberto o caminho para a felicidade: entregar-lhe seu coração repleto de amor. Mas será que ele iria acreditar que Wendy estava sendo sincera ?








“Não importa como eu sei. Nós, mulheres, apenas sabemos das coisas.” - Cissy

Não se deixe influenciar pela capa ‘cruz-credo’, Esposa Fora da Lei é um livrinho de banca delicioso. Extremamente divertido e romântico.


A estória é bem simples e até, tola, mas isso não quer dizer que não seja adorável. É mais um romance de casamento por conveniência, é fato mas a forma como tudo acontece é que importa. O livro conta a estória de amor entre o rancheiro Simon, que há muito tempo não confia nas mulheres e a fora da lei Wendy. Os motivos que levam dois personagens a se casarem são um pouco ‘forçosos’ (existe essa palavra?) , quase ‘nada ver’ mas acho que isso deu até uma graça à estória.

O casal principal é ótimo, assim como os outros personagens ‘de apoio’. Gostei muito da personagem Cissy, apenas a achei um pouco santa demais.

Como eu disse anteriormente, o casal é ótimo, daqueles que a gente torce para que fiquem juntos (e bem!) desde o começo. Os dois são extremamente cabeça-duras e ‘marrentos’, por assim dizer- mas é interessante perceber que os dois têm razão, de certa forma. Os dois querem a felicidade, querem poder ficar juntos e ter um futuro- porém, o passado de Wendy e, principalmente, o amor dela pelo pai, que é um fora da lei, parece sempre estar entre eles.

Esposa Fora da Lei tem humor e muito romance, além de algumas passagens bem tocantes que podem levar lágrimas aos olhos dos mais emotivos. O livro fala de amor, mas também de aceitação- aceitar um amor, um amigo, alguém diferente.





"— Sabia que você é uma sedutora, sra. Grant?
— Uma sedutora? Eu? — Ela também riu. — Não creio.
— Bem, você certamente seduz a este seu marido. Não faz a menor idéia do efeito que exerce sobre os homens, não é mesmo?
— Ora, bobagem, eu não...
Simon cobriu-lhe os lábios com um beijo sôfrego e to¬mou-lhe o rosto entre as mãos.
— Você é uma mulher incrível. Foi para a Rochedo Bran¬co e começou a torná-la um lar de verdade pela primeira vez em muitos anos. Despertou em meu pai mais ânimo para viver do que ele tivera desde o derrame. Depois, ca¬valgou sozinha até um esconderijo de foras-da-lei e acabou apontando uma arma para um deles. E ameaçou entregar-se às autoridades a fim de ajudar seu pai, mesmo que signifique passar anos na prisão. Mas, pelos céus, é a se¬dutora mais inocente e ingênua que já conheci.
— Ingênua?
— Você sinceramente não sabe o que faz com um homem, não é? Por que acha que fiquei furioso com Pete naquela tarde quando os vi chegando juntos à fazenda? Você nem sequer notou a maneira como ele olhava para você?
Agora Wendy estava confusa. Pensara que a raiva de Simon devera-se ao fato de ter achado impróprio para a esposa estar cavalgando ao lado de um empregado da fazenda. Não lhe ocorrera que a razão tivesse sido ciúme.
Porque se sentia ciúme, significava que tinha alguma afeição especial por ela, que sentia algo além de gratidão por ter-lhe salvo a vida...
— Acabei notando, mas achei que você não tinha per¬cebido, ou que não lhe faria diferença alguma.
Simon sacudiu a cabeça e estreitou-a com força nos braços.
— Oh, se pudesse, eu a manteria escondida para que nenhum outro homem pudesse pôr os olhos em você. Eu quase dei um sopapo naquele promotor hoje de manhã quando ficou olhando para você daquele jeito.
Wendy fechou os olhos, deixando-se aninhar por aqueles braços protetores. Era tão bom ficar assim e ouvi-lo dizer que a queria só para si. Era quase tão bom quanto seria se Simon dissesse que a amava. Mas sabia que um futuro com ele era um sonho impossível. A simples menção ao promotor já foi o bastante para lembrá-la outra vez da realidade.
— Abrace-me — sussurrou, estreitando-se ainda mais naqueles braços. Não estavam destinados a ficar juntos... ela e seu príncipe valente. Ele a salvara uma vez, per¬mitira-lhe aprender o que era amar um homem do fundo de seu coração, ensinara-lhe o que era desejo. Mas, no dia seguinte, tudo terminaria. (...).
Abraçou-o com força, enquanto as palavras se desva¬neciam, e seus corpos buscavam mais uma vez refúgio na paixão. Ao menos teriam essa noite, decidiu ela. A realidade poderia esperar até o raiar do novo dia."


Uma delícia de livro.


Capa Original:

Photobucket

Como vocês podem ver, a capa é a mesma. Um pavor, pra dizer o mínimo. Primeiramente, a mocinha aí parece ser muito velha- não que a modelo seja velha, mas de maneira nenhuma ela parece ser ‘jovenzinha e inocente’. E o mocinho então? Que ser esse aí na capa? O homem não tem pescoço, além do tronco/corpo ser atarraxado! E isso que nem estou levando em conta as expressões deles... *HORROR*



Cotação:
4 / 5

Reações: