terça-feira, setembro 18, 2012

A Rainha do Ar e das Sombras, de T.H. White


Título Original: The Queen of Air and Darkness
Autor: T.H. White
Editora: W11
Gênero: Fantasia
Série: O Único e Eterno Rei- Livro 2/5
Sub-Gênero/Assunto: Mitologia, Guerra, Romance Histórico , clássico
Período: Grã-Bretanha. Era Medieval.
" Neste segundo volume de O único e eterno rei, coleção de cinco livros que reúne a maravilhosa saga do Rei Arthur escrita por T.H. White, a aventura continua: surpreendente, mágica e hilariante. Desta vez, a história começa entre as brumas e os rochedos esculpidos pelo mar do reino de Morgause, a bela e fútil irmã de Morgana Le Fay.
Enquanto isso Arthur está em guerra. E Merlin nos explica porque todas as guerras são injustas exceto uma, e nos faz descobrir qual é a única razão que justifica um reino se erguer contra um outro. Ao lado do Rei Arthur, participamos dos combates, aprendemos estratégias justas, e ficamos sabendo como e porque a Távola Redonda foi criada. Mas há um problema grave: com tantas idas e voltas no tempo, Merlin anda esquecido. Sabe que deveria dar a Arthur uma informação de crucial importância, mas não se lembra o que é."




A Rainha do Ar e das Sombras é o segundo livro da saga sobre o Rei Arthur, iniciado com A Espada na Pedra.

Eu li A Espada na Pedra há alguns anos atrás e me apaixonei pela escrita filosófica e ao mesmo tempo- aparentemente- descompromissada de T.H. White. Está certo que eu já conhecia a estória do livro, através do desenho animado da Disney, A Espada era a Lei mas isso em nada tirou o brilho da leitura.

Se em A Espada na Pedra era contada a infância do pequeno Arthur e de como ele se tornou Rei, em A Rainha do Ar e das Sombras, temos um Arthur já adulto porém além inseguro de seus deveres como rei e prestes a entrar em guerra.

A Rainha do Ar e das Sombras é sobre o início da vida de Arthur como Rei Arthur e todas as dificuldades e glórias que isso representa e, também, de certa forma, mostra o início do fim- pois aqui a gente fica sabendo das circunstâncias do nascimento de Mordred. Para quem conhece a lenda do Rei Arthur, sabe a importância de Mordred no destino final do grande rei.

A estória acontece sob três ângulos: a da Rainha Morgause e seus filhos mimados e sem nenhuma noção do bem e do mal, Arthur preparando-se para a Guerra e a caça (ou não) da Besta Gemente. São três pontos que em certo momento vão se convergir em um destino comum.

“Se tem uma coisa que não consigo suportar é estupidez. Sempre digo que estupidez é o Pecado contra o Espírito Sagrado.”

O livro é contado quase com um relato e uma das suas maiores qualidades, sacadas, está, na maneira como isto é feito. Apesar da trama se passar durante os anos Arturianos, o narrador é moderno, aproximando-se assim mais do leitor. Além disso, como Merlin está vivendo ‘de trás pra frente’, é feito alusões a acontecimentos, personagens e situações que só vão acontecer no futuro. E nesta ‘confusão de tempo’, enquanto Arthur e Merlin travam diálogos interessantíssimos sobre governança e guerra, o velho mago percebe que precisa avisar o jovem rei sobre algo importantíssimo, mas simplesmente não consegue lembrar o que é.

De uma forma geral, A Rainha do Ar e das Sombras é uma espécie de manifesto sobre a estupidez da guerra e a maldade intrínseca em muitos seres humanos. Pode até parecer algo pesado- e em alguns momentos o é, como na sequência da caça ao unicórnio (esta é uma parte muito triste muito chocante), mas o autor altera os momentos ‘sombrios’ com um puro humor tolo e quase brejeiro. Simplesmente impossível não rir da ‘paixão’ da Besta Gemente.

“Quero dizer que podemos uma mesa com a forma de um aro de roda de carroça, e os servos poderiam andar pelo espaço vago, onde estaria o raio da roda. Poderíamos chamá-los de Cavaleiros da Távola Redonda,”


A Rainha do Ar e das Sombras assemelha-se, de certa maneira à As Duas Torres , de Tolkien. Não porque as estórias sejam necessariamente parecidas mas no sentido que são ‘elos de ligação’, elas representam um momento para o desencaminhar de toda a trama (no caso de ‘A Rainha’, a trajetória de Arthur e três livros seguintes).

É um livro curto; de estória mesmo são apenas 152 páginas, mas eu acho que são suficientes para o que o autor propõe. Mais do isso, eu acho que tornaria a leitura maçante e, por consequência desinteressante.

Não vou negar, gostei muito mais do primeiro livro, A espada na Pedra, até por que aquele livro tinha um certo ‘frescor’ infantil e inocente que não é mais encontrado aqui, o que faz todo o sentido. Todavia, não há dúvidas de que ‘A Rainha’ é uma grande leitura, altamente recomendável para quem gosta de fantasia e, principalmente da Lenda do Rei Arthur.

Vale lembrar que, ao final do livro, existem apêndices explicativos sobre os personagens e os volumes seguintes da saga. Eu recomendo ler esses apêndices APÓS a leitura do livro, principalmente se você nunca ouviu falar ou conhece muito pouco a estória do Rei Arthur.

Eu achei que a sinopse oficial conta muito do livro, entregando quase toda a estória, por isso, nesta resenha a sinopse está ‘editada’ a fim de evitar eventuais spoilers. Tome cuidado no Skoob.



Recomendo.


***

A Rainha do Ar e das Sombras foi a minha leitura para o Desafio Literário 2012 cujo tema desse mês era Mitologia.

Minha Lista

Edição

Bela Edição, ricamente ilustrada e com importantes informações ao final do volume.


A Série
O Único e Eterno Rei é a saga, em 5 volumes, do Rei Arthur. Desde a infância até o seu fim. Escrita no início do séc. 19, O Único e Eterno rei é um clássico, considerado uma referência na literatura sobre o mito de Arthur, ao lado de Le Morte d’Arthur , de Malory. Ainda, a obra de T.H.White inspirou livros como as Crônicas de Narnia e O Senhor dos Anéis.

Livro 1-A Espada na Pedra
Livro 2- A rainha do Ar e das Sombras
Livro 3- O Cavaleiro Imperfeito
Livro 4- A Chama do Vento
Livro 5- O Livro de Merlin.

Outras Capas:
O título original do livro, The Queen of Air and Darkness, era, inicialmente, The Witch in The Wood. 


E já sabem, né? Qualquer erro, favor me avisar para eu eu possa consertar! :)

Cotação: 4/5

Reações: