quinta-feira, março 28, 2013

Dewey- um gato entre livros, de Vicki Myron


A rotina da pacata cidade de Spencer, Iowa, Estados Unidos, se transforma após Dewey, um gato, ser encontrado na Biblioteca Pública. A diretora da Biblioteca, que achou o gatinho na caixa de devolução, resolve contar a história e lança o livro, Dewey, um gato entre livros. O livro escrito por Vicki Myron, com colaboração de Bret Witter é a história real de um gato que fez da biblioteca - e da cidade de Spencer- sua casa e de seus habitantes, os melhores amigos.










Eu sempre fui mais uma pessoa de cachorros. Contudo não pude deixar de me emocionar com a história de Dewey ReadMore Books, ou simplesmente, Dewey,  um gato ruivo, morador da Biblioteca Pública da Cidade de Spencer, nos Estados Unidos.


Dewey, um gato entre livros não é a biografia de um gato muito especial. Ou talvez não seja só isso. O livro conta não só a vida de Dewey, mas principalmente como ele tocou a vida de outras pessoas, como ele, de certa maneira, mudou uma biblioteca, uma cidade.

É engraçado isso de “favorito”. Acredito que nem sempre o nosso favorito particular seja o mais perfeito, mesmo para gente. Para mim, o que faz de um livro, filme, “favorito” é a capacidade que ele teve de me emocionar, me tocar. Sempre achei um pouco brega quando dizem que tal livro, filme, o que seja “toca o coração”, mas aqui eu não posso me desviar do lugar comum. Dewey me tocou.
Algumas partes são um pouco enfadonhas, como, por exemplo, a questão da crise agrícola. Eu até me interesso sobre crise econômicas e assuntos do tipo mas não era algo que eu estava a fim de ler em um livro como Dewey, nem mesmo as implementações e melhorias da Biblioteca. Além disso, achei um pouco irritante como a Vicki, a autora e narradora da história, “endeusa” a cidade de Spencer. É muita perfeição para pouca cidade. Duvido que a cidade seja realmente tão acolhedora e perfeita assim. Porém, esses pequenos defeitos são muito poucos para tirar o charme do livro. De Dewey.

Apaixonei-me por esse gato cheio de personalidade.

[Pobre Vicki, a vida dela parece uma tragédia grega. Vou te falar!]

Não sou de chorar com livros. Não mesmo. Já me emocionei várias vezes, mas chorar- chorar mesmo, acho que a última vez foi quando li Harry Potter e o Cálice de Fogo . E eu chorei com Dewey. Começou com um aperto na garganta e quando dei por mim, as lágrimas já estavam caindo.

Desde o início sabemos qual será o final da história- não é algo surpreendente ou fora de propósito, mas nem por isso menos...difícil
(breve comentário "escondidinho" caso alguém ache que é um spoiler.)

Eu ri, chorei e me emocionei com esse gato pra lá de especial.


Resenha curtinha, eu sei! Mas, algumas vezes- quanto menos se falar, melhor. Nah, balela! Eu simplesmente não consegui encontrar palavras suficientes para demonstrar o quanto esse livro me emocionou.



Recomendo!

O P.S: Spencer tem 11 mil e poucos habitantes e tem uma Biblioteca municipal. Razoavelmente grande. Quantas cidades brasileiras podem dizer isso? Em São Vicente, nem sei se tem Biblioteca (acho que funciona uma “pseudo-biblioteca” no Instituto Histórico-Geográfico.). Em Santos, a Biblioteca Municipal “grande” está fechada e só funciona uma pequena num posto da praia. Uma vergonha.

Título Original: Dewey- the small-town library cat Who touched the world
Autor: Vicki Myron
Editora: Globo
Gênero: Biografia
Sub-Gênero/Assunto: Humor, Drama, Animais, Inspiracional
Período: Final dos Anos 80-meados dos anos 2000. Spencer, Iowa, EUA.


Um Vídeo com imagens reais de Dewey. É parte de uma reportagem que uma emissora de TV fez- e que é comentada no livro.


Não é um charme só? Como não se apaixonar?

Capa Original:



4/5

Reações: