terça-feira, novembro 12, 2013

Laços de Sangue, de Richelle Mead [Bloodlines 1]


Sydney estava encrencada. Em sua última missão, ela tinha ajudado a dampira Rose Hathaway a escapar da prisão, e essa aliança foi considerada uma traição grave, já que vampiros e dampiros são criaturas terríveis e antinaturais, ameaças àqueles que os alquimistas devem proteger - os humanos. Com sua lealdade colocada em questão, Sydney se sente obrigada a voluntariar-se para uma tarefa nada agradável - ajudar a esconder Jill Dragomir, uma princesa vampira que está sendo perseguida por rebeldes que querem o poder. Caso ela seja capturada e assassinada, a rainha Lissa ficará sem nenhum parente vivo e, como manda a lei, terá de abdicar do trono - o que culminará numa guerra civil tão sangrenta no mundo dos vampiros que certamente afetará a humanidade.
Assim, pelo bem dos humanos, Sydney aceita se disfarçar de estudante e passa a conviver diariamente com Jill e seu guardião Eddie, quando os três são matriculados como irmãos no último lugar em que qualquer um procuraria a realeza dos vampiros - a Escola Preparatória Amberwood, em Palm Springs, na Califórnia. Mas entre uma pizza e outra, entre um jogo de minigolfe e uma conversa sobre garotos, ela começa a ter a sensação de que talvez esses seres estranhos não sejam tão maus assim, principalmente Adrian, um vampiro muito próximo de Jill que desperta os sentimentos mais contraditórios - e proibidos - em Sydney...
O problema é que além de refletir sobre suas convicções e se preocupar com o seu coração, que anda acelerando mais do que deveria, a garota terá de encarar outros inconvenientes um pouco mais graves, como as tatuagens que viraram febre entre os alunos da escola e que parecem conferir poderes sobrenaturais a quem as usa. De que ingredientes elas eram feitas? Quem estaria por trás disso? Será que havia algum alquimista traidor entre eles? Caberá a Sidney resolver todos esses mistérios e garantir a paz entre os humanos antes que seja tarde demais.




A Imperfeição que me conquistou.Eu sei que é algo estranho de se dizer mas exatamente essa impressão que Laços de Sangue me passou. Analisando friamente, encontrei diversos (pequenos) problemas. Porém, uma leitura nunca é uma análise “fria”. Tecnicalidades não são nada se o livro te conquistar.
E foi isso que aconteceu.

Em termos gerais, já que a sinopse oficial conta praticamente , o livro conta a história da Alquimista Sydney que tem como missão, após ter caído em descrédito entre os seus, de proteger- ou melhor dizendo, servir de guarda-costas- da jovem Vampira Jill. Para isso, as duas, junto com o Guardião Eddie, devem fingir ser irmãs e estudar numa Escola Preparatória em Palm Springs, nos Estados Unidos. Seria algo até fácil se coisas estranhas não estivessem acontecendo por lá ; como misteriosas tatuagens que parecem conferir poderes extraordinários a quem as tem. Além disso, algumas mortes “não usuais” de vampiros parecem estar ocorrendo na região.

Laços de Sangue é um spin-off da famosa série Vampire Academy e, devo dizer, eu não li a série “matriz”. Esse fato, de forma geral, não me prejudicou a leitura, mas confesso que tive que fazer uma pequena pesquisa a respeito de alguns termos e personagens. Nada que o Senhor Google não resolvesse. A única coisa que senti falta, não em questão de entendimento de trama, mas de compreensão de personagem, foi conhecer melhor Adrian. Sei que ele era um dos dos Vértices do Triangulo Amoroso de VA. O Vértice perdedor, mas só isso. Queria saber mais sobre ele, até porque ele é parte importante em ‘Laços e, desconfio, da série Bloodlines como um todo.
Aliás, Adrian foi o personagem que mais me cativou. Ele é um total bobo-alegre. Não, ele é total aparente bobo-alegre mas que tem a palavra certa na hora certa. Sem contar o alívio cômico, apesar do alto grau de melancolia do personagem.

Geralmente, eu não sou muito fã de livros em primeira pessoa. Ainda mais se a primeira pessoa for mulher e adolescente. 95% das vezes, são personagens chatas e imaturas. Aqui não foi o caso. Eu gostei de Sidney, gostei de suas dúvidas e seus questionamentos, porém, devo dizer que fiquei levemente irritada com sua falta de atitude. Parecia que todos pisavam nela e ela simplesmente ficava calada, sem revidar, sem argumentar. Gostaria de ter visto mais ação por parte dela, principalmente em relação ao pai e Keith, outro alquimista e pé no fiofó.

Este foi o primeiro livro de Richelle Mead que li e, devo dizer, gostei bastante de sua escrita. É precisa e fluida, com ação e descrição nas medidas certas. Muitas vezes, livros de fantasia pecam pelo excesso de detalhamento e explicações. Não foi o caso aqui. O problema, a meu ver, foi a demora em começar a história “em si”. Sem contar que fiquei bastante frustrada por não ter sido mencionado a reação a um determinado fato. O que o pai de Sidney achou e disse quando... bem , quem leu sabe do que estou falando. rs

Honestamente, Lanços de Sangue me deu a impressão de ser um grande prólogo para a série em si. Foi como se este primeiro livro fosse uma “preparação do terreno”, uma apresentação dos fatos e personagens para sim, nos livros seguintes, mostrar sobre o quê realmente é a série.

O livro não tem envolvimentos românticos, ou pelo menos, de forma “explícita” e determinante; algo que eu achei bom. Eu adoro um romance, uma história de amor, mas que aqui, neste momento, iria ser algo deslocado, que tiraria o foco da história em si. E, sabe, honestamente, nem senti falta.

Isso pode parecer um pouco frustrante. Tecnicamente, é. Mas como eu disse no início dessa resenha, uma leitura não se vale somente de tecnicalidades.

Laços de Sangue me envolveu completamente. Eu me senti complemente fisgada pela história e seus personagens. Me apaixonei por Adrian e senti muita raiva de Keith. Penso que o fator “gostar” foi definitivamente superior a qualquer questão “técnica”.
Eu simplesmente gostei de Laços de Sangue . Mas do que isso, senti aquela mistura de contentamento e tristeza ao final da leitura.

E fiquei doida para ler o segundo livro.

Laços de Sangue é uma leitura leve e divertida, ideal tanto para quem gosta de fantasia e vampiros quanto para quem não é muito ligado nesse tipo de literatura.

Recomendo!


***

Esta resenha faz parte das comemorações do aniversário da autora (12/11). A versão digital de Laços de Sangue foi gentilmente cedida pela editora Seguinte, a fim que eu lesse e postasse a minha opinião. Infelizmente, ocorreram problemas com a entrega do livro físico e... bem, mas o fato é que eu li adorei. (a transportadora deve ter caído na Serra do Mar, só pode!) Muito Obrigado.
E muito obrigado também à queridérrima Ana Carla, do Blog Histórias sem Fim, por ter me convidado! ;)

***

Título Original: Bloodlines
Autor: Richelle Mead
Editora: Seguinte
Gênero: Fantasia
Série: Bloodlines-Livro 1
Sub-Gênero/Assunto: Jovem Adulto, Vampiros, Paranormal
Período: Atual. Palm Springs, EUA

A Série

Bloodlines é um spin-off da série Vampire Academy.

Livro 0.5- Adrian's Lost Chapter (Inédito no Brasil)
Livro 1- Laços de Sangue
Livro 2- O Lírio Dourado- Previsão de Lançamento no Brasil: Novembro de 2013
Livro 3- The Indigo Spell (Inédito no Brasil)
Livro 4- The Fiery Heart(Inédito no Brasil)
Livro 5- Silver Shadows - Previsão de Lançamento: 2014


Outras Capas:

Apesar de pensar que um lírio faria muito mais sentido que uma rosa, achei a capa nacional anos-luz melhor que a original. Simples, Clean e direta. Eu não sou muito fã de capas com "rostos" e essa moça me lembrou muito a Raquel Pacheco, vulgo Bruna Surfistinha!


4/5

**
Qualquer erro ou incoerência, favor avisar para que eu possa corrigir, okay?

Reações: