segunda-feira, novembro 11, 2013

Sedução ao Amanhecer, de Lisa Kleypas

O cigano Kev Merripen é apaixonado pela bela e bem-educada Win Hathaway desde que a família dela o salvou da morte e o acolheu, quando era apenas um menino. Com o tempo, Kev se tornou um homem forte e atraente, mas ainda se recusa a assumir seus sentimentos por medo de que sua origem obscura e seus instintos selvagens prejudiquem a delicada Win. Ela tem a saúde fragilizada desde que contraiu escarlatina, num surto que varreu a cidade. Sua única chance de recuperação é ir à Franca, para um tratamento com o famoso e bem-sucedido Dr. Harrow. Enquanto Win está fora, Kev se dedica a coordenar os trabalhos de reconstrução da propriedade da família, em Hampshire, transformando-se num respeitável administrador, mas também num homem ainda mais contido e severo. Anos depois, Win retorna, restabelecida, mais bonita do que nunca... e acompanhada por seu médico, um cavalheiro sedutor que demonstra um óbvio interesse por ela e desperta o ciúme arrebatado de Kev. Será que Win conseguirá enxergar por baixo da couraça de Kev o homem que um dia conheceu e tanto admirou? E será que o teimoso cigano terá coragem de confrontar um perigoso segredo do passado para não perder a mulher da sua vida?



Lindo, Lindo, Lindo.

Um Segundo livro de uma série ser melhor que o primeiro não é algo muito raro. Porém, quando o tal primeiro livro é uma leitura 5 estrelas, isso já é muita coisa. E foi o caso de Sedução ao Amanhecer. Por incrível que pareça, o livro consegue ser ainda melhor que o seu antecessor.

A história começa quase que imediatamente ao final do primeiro livro ( o que ressalta ainda mais a necessidade de ler os livros na sequência!), quando a mais doce e sensível Hathaway é enviada a França para tratar da saúde. É a única chance dela de tentar se curar e, quem sabe, ter uma vida normal. Apesar da saudade, todos concordam com a partida. Bem, todos menos Kev, o cigano que mora com a família Hathaway desde que era criança. Ele não quer ver o grande amor de sua vida partir. Ele sabe que quando ela voltar, nada será mais o mesmo.

E ele estava certo.

Quando Win retorna, além de saudável, ela está mais forte como pessoa e disposta a amar- e ser amada. Ela ama Kev e sabe que ele a ama, porém as reticências dele são fortes demais e a jovem simplesmente se sente cansada por esperar por um amor que talvez nunca se concretize.

Talvez fosse a hora de seguir em frente.


“Kev a amava. Não como descreviam os romancistas e poetas. Nada tão domesticado.”

Sedução ao Amanhecer é uma linda história de amor; um amor forte, intenso. E proibido. O amor de Kev e Win não é só impossível devido as questões morais e éticas da sociedade de então- afinal ele é um cigano e ela uma jovem branca e de boa família- mas, também as barreiras que o próprio Kev impõe. Ele não se sente digno dela. Normalmente, este é um tipo de atitude que me incomoda em heróis românticos, mas é tudo tão bem arquitetado e descrito que me vi impossibilitada de não sofrer junto com Kev.

Ele é forte, bruto, incrivelmente mal humorado, mas no fundo é um sofredor. Kev é capaz de acabar com a própria vida em nome a felicidade e segurança de Win. Ele vive por ela.

“-Todos os fogos do inferno poderiam arder por mil anos e não se igualariam ao ardor do que sinto por você em um minuto do dia. Eu a amo tanto que não há prazer nisso. Nada além de tormento. Porque se eu pudesse diluir o que sinto por você a uma milionésima parte, o resultado ainda seria suficiente para matá-la. E, mesmo que me leve a loucura, prefiro vê-la viva nos braços daquele canalha frio e sem alma d que morta em meus braços.”

Dizer que eu gostei de Sedução ao Amanhecer seria pouco. Eu simplesmente me apaixonei pela história e seus personagens. Muitas vezes uma história de amor forte, carregada de emoções, corre o risco de parecer um pouco “brega” ou “intensa” demais, resvalando no ridículo. Porém, isso não ocorre aqui. E o grande mérito é de Lisa Kleypas. Ela consegue fazer uma história incrivelmente romântica sem abusar de mais do açúcar. Junto com a história de amor, temos também a leve crítica social, o que torna tudo muito mais interessante.

Honestamente, não sei muito mais o que dizer. Acho que vocês já perceberam o quanto gostei do livro, não? Acho que a única coisa que me resta a falar é: Leiam!

Se você gosta de uma bela história de amor, com personagens fortes e cativantes, Sedução ao Amanhecer é leitura obrigatória.

Recomendo!

Título Original: Seduce me At Sunrise
Autor: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance Histórico
Série: -Os Hathaways- Livro 2
Sub-Gênero/Assunto: Ciganos, Família, Amor Proibido, Reencontro
Período: Era Vitoriana. Inglaterra.

A Série
Apesar de ser o primeiro livro de uma série, Os Hathaways, Desejo à Meia-Noite faz parte do mesmo “universo” da série Wallflowers , uma série nunca publicada no Brasil mas conhecida das meninas que compram na Wook. Desejo à Meia Noite passa-se, mais ou menos, 4 anos após os eventos da outra série. Não é necessário ler a “pré-série” mas quem já leu, irá reconhecer alguns personagens.

Livro 1- Desejo à Meia-Noite [RESENHA]
Livro 2- Sedução ao Amanhecer – [Resenha]
Livro 2.5- A Hathaway Wedding- não sei se a editora pretende lançar essa pequena história/conto
Livro 3-Tentação ao Pôr-do –Sol –
Livro 4- Married by Morning – sem título em Português
Livro 5- Love in the Afternoon- sem título em Português

Outras Capas:
Reparem como nas duas capas, as modelos são LOIRAS. A capa brasileira é linda, mas a moça é RUIVA! E Win é LOIRA! LOIRA! O povo que faz capa poderia prestar mais atenção, né?!


5/5

Reações: