segunda-feira, abril 22, 2019

[Resenha] Em Águas Sombrias, de Paula Hawkins


“Novo livro da autora do best-seller internacional A garota no trem. Com a mesma escrita frenética e a mesma noção precisa dos instintos humanos que cativaram milhões de leitores ao redor do mundo, Paula Hawkins nos presenteia com uma leitura vigorosa e que supera quaisquer expectativas, partindo das histórias que contamos sobre nosso passado e do poder que elas têm de destruir a vida que levamos no presente. Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã, Jules, que não atendeu o telefone e simplesmente ignorou seu apelo por ajuda. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre. Mas ela está com medo. De seu passado há muito enterrado e por saber que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de Poço dos Afogamentos… ”




Confuso.

O Suspense/Policial é um dos meus gêneros literários favoritos, se não *o* favorito. E, por isso, talvez, eu seja exigente com essa literatura. Quando se lê muito de um gênero, a gente acaba por querer algo diferente de vez em quando- e “diferente” foi o que me atraiu no livro em primeiro lugar.

Diferente foi o que me prometeram. E até foi cumprido, mas não no bom sentido.
Em águas sombrias parte de um caso de afogamento. Acidente? Suicídio? Assassinato? Narrado por diversos pontos de vista, o mistério do livro parece não ter a menor a importância. Até aí tudo bem (ou quase). O problema é que os personagens, muitos e “desconectantes”, também não surtem qualquer tipo de interesse. É tudo extremamente monótono e sem graça. Como suspense psicológico é raso pois não se aprofunda em nada e como mistério simplesmente não prende a atenção.

Cansativo e repetitivo, o livro ainda apresenta alguns elementos “místicos” que não acrescentam nada e não fazem o menor sentido.

No final, a autora ainda tentou dar uma última cartada, surpresa da última linha (por isso, não vá bisbilhotar o final do livro, tá?) mas tudo foi tão sem emoção e blasé que nem isso causou qualquer impacto. Simplesmente, eu não dei a mínima. Só fiquei feliz por simplesmente, e finalmente, terminar a leitura.

O único ponto positivo, a meu ver, foi a ideia inicial do romance. Penso eu, que se tivesse sido mais bem executada teria produzido um livro muito mais interessante.

Decepção.

Título Original: Into the water
Autor: Paula Hawkins
Editora: Record
Gênero: Suspense Psicológico
Sub-Gênero/Assunto: Romance, Humor
Período: Atual. Inglaterra.


2/5

 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

Reações: