quarta-feira, fevereiro 10, 2010

O Duque e Eu (The Duke and I), de Julia Quinn











O Duque e Eu -


Título Original: The Duke and I
Autor: Julia Quinn
Editora: Nova Cultural/ Piatkus Books
Colecão: Clássicos Históricos Especial
Série: Família Bridgerton (Livro 1)
Gênero: Romance
Sub-Gênero/Assunto: Romance Histórico, Casamento de Conveniência, Superação, Imperfeições, Família
Período: Séc. 19. Regência
Sinopse:
Pode haver um desafio maior do que um duque solteiro? 

Simon Basset, recém-nomeado duque de Hastings, está prestes a pedir a mão de Daphne Bridgerton em casamento. Daphne é irmã de seu melhor amigo e quase uma solteirona, mas somente eles dois conhecem a verdade... 

Tudo não passa de um plano, com dois intuitos: proteger o charmoso duque dos avanços das moças solteiras e aumentar as chances de Daphne de conseguir um bom partido, depois de ter sido cortejada por um duque. No entanto, enquanto Daphne valsa pelo salão de baile nos braços de Simon, fica difícil se lembrar de que aquele romance é apenas uma encenação. 

Daphne não tem certeza se é o sorriso sedutor de Simon, ou se é o jeito como ele olha para ela, mas a verdade é que ela está se apaixonando... de verdade! E agora, ela precisa fazer o impossível para convencer o atraente duque de que o plano que ambos tão bem arquitetaram merece uma ligeira alteração, e que talvez os dois descubram que pode ser bem melhor e eficaz se a farsa se transformar em realidade...
*******


Sinopse OriginaL: 
 
Simon Basset, the irresistible Duke of Hastings, has hatched a plan to keep himself free from the town's marriage-minded society mothers. He pretends to be engaged to the lovely Daphne Bridgerton.

After all, it isn't as if the brooding rogue has any real plans to marry--though there is something about the alluring Miss Bridgerton that sets Simon's heart beating a bit faster.

And as for Daphne, surely the clever debutante will attract some very worthy suitors now that is seems a duke has declared her desirable. But as Daphne waltzes across ballroom after ballroom with Simon, she soon forgets that their courtship is a complete sham. And now she has to do the impossible and keep herself from losing her heart and soul completely to the handsome hell-raiser who has sworn off marriage forever!


Em Português (é Google translation. Então...):\


Simon Basset, o Duque de Hastings, tinha um plano para se manter livre do casamento. Ele finge estar comprometido com a bela Daphne Bridgerton. Ele não tinha planos reais de se casar - mas há algo sobre Miss Bridgerton que faz o coração de Simon bater um pouco mais rápido.

E quanto a Daphne, a debutante inteligente certamente atrairá alguns bons pretendentes agora que um duque a declarou desejável. Mas, baile após baile com Simon, ela logo se esquece de que o namoro é uma farsa completa. E agora ela tem que fazer o impossível, para não perder a sua alma e coração completamente para alguém que jurou nunca se casar!

*****






Nem sei ao certo por onde começar. Talvez dizendo que AMEI esse livro? É um bom começo. Ou talvez que este é o primeiro da série da Família Bridgerton?

Talvez seja bom começar essa pequena resenha dizendo que, infelizmente, o livro ainda não foi lançado em Português. Uma pena. Contudo, espero que uma boa editora o resolva lançar. Eu sei que existe uma versão *traduzida* na net mas sinceramente, a tradução é pavorosa. Se você souber inglês compre o livro. A Saraiva tem bons preços. Esse aqui é um dos mais caros (R$24,00) mas o segundo livro (The Viscound Who loved Me) tá custando apenas R$ 12,50!

*
O livro é realmente delicioso. Alguns de vocês provavelmente conhecem Julia Quinn pelo romance * Uma História de Amor* e posso dizer que estilo continua o mesmo. E como eu adorei Uma História de Amor...

Bem, The Duke and I, à primeira vista, trata-se de um *romance de mentirinha*. Porém o livro é muito mais que isso.

Simon, o Duque de Hastings, não quer casar. Nunca. Daphne, a filha *número 4* de uma família de 8 irmãos quer acabar com a fama de ser *legal*, a amiga de todas as horas porém os homens não fazem fila à sua porta pedindo sua mão. Eles então têm a idéia perfeita: fingir um relacionamento. Pensando que Simon já está comprometido, as donzelas (e suas mães!) deixaram o deixarão em paz. Os homens solteiros, notando o interesse do Duque em Daphne passaram a olhá-la com outros olhos. Perfeito, certo? Nem tanto. Ainda mais que os dois parecem sentir uma grande atração um pelo outro. E se não bastasse isso, Anthony, o protetor irmão mais velho de Daphne é o melhor amigo de Simon.

E Anthony e Simon costumavam *se divertir* bastante nos tempos da faculdade. É, Anthony não está gostando muito deste *romance*.

A história é basicamente essa. Simples e ingênua; Contudo, existe muito mais nas entrelinhas. Simon é uma personagem muito bem caracterizada. É interessante o fato de a autora revelar *o segredo* dele já nas primeiras páginas- mas apenas, para nós, leitores, deixando as outras personagens no escuro. Confesso que isto frusta, algumas vezes, principalmente nos momentos em que Daphne quer se aproximar, e Simon simplesmente se fecha.


Sim, é frustante. Assim, como é doloroso ver um pai renegando o próprio filho porque este não é *perfeito*. Ou normal.  As cenas em que Simon tenta falar mas não consegue são de cortar o coração.

A relação entre Daphne e Simon é mostrada de forma leve, divertida e romântica porém não totalmente perfeita. Sim, eles enfrentam problemas. Sim, eles são humanos e passíveis de erros mas é justamente essa 'imperfeição' que os torna adoráveis.


"Ela tentou dizer alguma coisa inteligente. Tentou dizer algo sedutor. Mas sua ousadia abandono-a no último momento. Ela nunca fora beijada antes, e agora que tinha feito de tudo para que ele fosse o primeiro não sabia como agir.

Os dedos de Simon afrouxaram-se ligeiramente em torno de seu peulso, arrastando-a para trás de uma sebe alta e toda decorada.

Ele murmurou seu nome e tocou sua face.

Seus olhos se arregalaram, seus lábios se entreabiram.

E, no final, foi inevitável."




*

Uma das coisas que eu mais gostei em O Duque e Eu foi que não só os personagens principais são ótimos mas também os coadjuvantes. E é justamente com esses ‘coadjuvantes’ que  temos as partes mais divertidas do livro. Os irmãos de Daphne são impagáveis, principalmente Anthony com seu jeito durão e a ‘birra’ que tem do relacionamento da irmã e seu melhor amigo. 

Outra personagem memorável é a mãe de Daphne, Violet. Viúva, mãe de 8 filhos, ela não é uma mulher fraca não. Decidida e de opinião, ela sabe como ninguém ‘manipular’ os filhos. Ah, e se eles estiverem fazendo alguma coisa errada ela não hesita  em puxar-lhes a orelha. Literalmente. E em público.

Ah, e eu não poderia deixar de mencionar a irmãzinha mais nova de Daphne, Hyancith.  Aos 10 anos de idade, a pequena é adorável e sem papas na língua.

"- Se resolver se casar com minha irmã...- disse.

Daphne engasgou-se com o biscoito.

-...você tem a minha aprovação.

Simon senti faltar-lhe o ar.

-Mas se não se casar- continuou Hyancith, sorrindo envergonhada-, então eu ficaria muito honrada se você esperasse por mim."

Sinceramente, acho que poderia ficar falando e falando sobre O Duque e Eu por horas e horas.


Sim, amei o livro e gostaria de deixar isso bem claro.


A Edição Brasileira


Quando eu vi que a Nova Cultural tinha (finalmente!) lançado O Duque e Eu, eu fiquei ao mesmo tempo feliz e receosa. Feliz por que finalmente essa série tão maravilhosa estava sendo lançada no Brasil (e na ordem, pelo menos este primeiro livro) mas também fiquei receosa por que todos nós sabemos as ‘atrocidades’ que a Nova Cultural pode ‘cometer’ contra um livro, né? 

Pois bem, comprei a versão da Nova Cultural e já tendo a versão original em mãos, comecei a leitura...e a comparação! E sabe qual foi o veredito? Sem cortes!  Tudo bem, eu estou exagerando. Tinha sim um corte ou outro mas eram basicamente frases dispersas. De modo geral, cerca de 98% do que estava no original manteve-se na versão brasileira. Para quem conhece o ‘passado’ da Nova Cultural, sabe como isso é um fato extraordinário, né?

Mas quais são as diferenças? Quais foram os cortes?  A principal diferença está no número de capítulos. No original, temos 21 capítulos mais o prólogo e o epílogo. Na versão brasileira, são 16 capítulos mais prólogo e epílogo. Isso quer dizer que a Nova Cultural ‘comeu’  5 capítulos? Não, a editora brasileira simplesmente ‘juntou’ alguns capítulos.

E foi justamente este ‘juntamento’ que causou os (poucos) cortes ocorridos (basicamente o que foi cortado foram  as ‘observações’ de Lady Whistledown que aparecem no início de cada capítulo.) Isto não quer dizer que todas as ‘falas’ de Lady Whistledown foram cortadas (afinal de contas ela será importante nos livros seguintes) mas algumas, sim, foram suprimidas. Honestamente, não eram frases realmente importantes para a obra, mas confesso que algumas eram bem divertidas. Assim como uma troca de amenidades entre Simon e os irmãos de Daphne na cena do duelo.

"To Say that men can be bullheaded would be insulting to the Bull- Lady Whistledown’s Society Papers."

Outra mudança, em relação ao original, é a cidade onde Colin estava antes de regressar a Londres. No original, ele diz que é Edimburgo. Na versão brasileira, é dito que é Paris.  


Outro ponto a salientar em relação as diferenças entre a versão traduzida e a original é o modo como a personagem Penélope é mostrada. A personagem não foi cortada na edição brasileira, mas senti que o modo como ela é vista pelos outros personagens é um pouco diferente do que ocorre no original (No original é dito que Daphne a mãe gostam muito de Penélope, apesar da mãe e das irmãs dela. Isto foi cortado pela Nova Cultural).

Obviamente que nada substitui o prazer de ler o texto romântico e espirituoso de Julia Quinn no original, mas acredito que a Nova Cultural fez um bom trabalho aqui. Além dos pouquíssimos cortes, não encontrei erros de português ou grafia.

 A Série

Os Bridgertons é uma série passada na época da regência e conta a estória dos irmãos Bridgertons. Eles são oito (daí os 8 livros da série) e cada um foi chamado/nomeado a a partir da letra correspondente ao alfabeto:

Os livros da série (e o Bridgerton correspondente):

O Duque e Eu (Daphne Bridgerton)

The Viscount who loved (Anthony Bridgerton) - Inédito no Brasil (Minha Resenha)

An Offer from a Gentleman (Benedict) - Inédito no Brasil  (Minha Resenha )

Romancing Mr. Bridgerton (Colin)- Inédito no Brasil (Minha Resenha)

To Sir Philip, with love (Eloise)- Inédito no Brasil

When he was wicked (Francesca)- Inédito no Brasil

It’s in his kiss (Hyacinth)- Inédito no Brasil

On the Way to the Wedding (George)- Inédito no Brasil
 

Alguns outros personagens secundários da série também aparecem em outros livros da autora. É o caso da Sra. Dansbury. Ela é a tia do Marquês de Riverdale de Como se casar com um marquês.


Outras Capas:



******

A Árvore Genealógica da Família Bridgerton

O Prólogo e o Capítulo 1 (Inglês, no site da autora)

Uma ilustração que fiz inspirada no Capítulo 8 de O Duque e Eu

* Quer ganhar um exemplar totalmente grátis de O Duque e Eu + 1 marcador de livros? É só participar do sorteio AQUI

Cotação:

5/5

Reações: