segunda-feira, junho 25, 2012

Coração Traiçoeiro, de Margo Maguire [Maratona de Banca: Reserva]


Título Original: His Lady Fair
Autor: Margo Maguire
Editora: Nova Cultural
Coleção: Clássicos Históricos 244
Gênero: Romance Histórico
Sub-Gênero/Assunto: Romance de Banca, Espiões
Período: Medieval. Inglaterra, 1429
Inglaterra, 1429
 Como é possível amar a filha de um traidor?
 Nicholas Hawken estava tão apaixonado, desejava-a tanto… como não a mar? Ele jamais encontrara uma mulher tão receptiva a suas carícias, a seus beijos, a seu próprio ser comolady Maria Burton.Mas se o pai dela fosse mesmo um traidor, tinha o dever de desmascará-lo… mesmo que isso colocasse em risco a forte atração que começava a surgir entre eles!De humilde criada a filha de um duque, Maria Burton passou por uma produnda transformação. Mas nada abalou tanto sua alma como tudo o que viveu com
Nicholas Hawken, canalha, patife, infame… e o homem a quem ela entregou seu coração.





Minha livro reserva para a Maratona de Banca 2012 . O tema é Romances Históricos Período Medieval. Ao contrário do outro livro que li este mês para Maratona, Desejo Soberano,  achei este muito mais divertido e interessante.


A estória começa em tom de Cinderela, quando a nossa jovem heroína, Maria, foge das “garras” de uma tia má, que a tratava como uma empregada, em busca de seu verdadeiro pai, o Duque de Sterlyng, que até pouco tempo acreditava que a única filha havia morrido ao nascer.

Durante a fuga, Maria encontra Nicholas Hawken, um nobre aparentemente inconsequente e fanfarrão. Mas essa atitude displicente era apenas uma fachada a fim de tentar desmascarar um provável traidor da Coroa: justamente o pai de Maria!

E é claro que Nicholas e Maria irão se apaixonar! (Eu sei, eu sei! Se eu não contasse, vocês NUNCA iriam desconfiar disso, né? Baita surpresa, hein? rs)

Apesar de Maria ter-me parecido um pouco tola durante o livro (ela sempre parecia querer ficar imitando as damas da corte, achei que faltou um pouco de naturalidade à personagem) gostei bastante de Nicholas. Ele era divertido, sexy e complexo na medida certa. Tá certo, ele é um TDB! Não vou negar!

Além disso, o romance entre o dois é bem conduzido, com um leve toque de ‘gato e rato’. Coração traiçoeiro não é um livro HOT mas tem o um certo grau de sensualidade. Um “temperinho”, vamos dizer.

A trama paralela sobre traição e espionagem é interessante e dá um bom contraponto ao romance principal. Nada excepcional mas o suficiente para manter o interesse.

Um dos motivos que me fez gostar do livro do livro é justamente uma das suas maiores falhas: a ambientação histórica. Coração Traiçoeiro mais parece um romance do século XVIII ou até mesmo da regência. Eu gosto muito mais de Romances da regência do que medievais, mas a autora aqui deveria ter se decidido em que época queria situar sua estória. Se não fosse a menção de um suserano aqui e um cavaleiro acolá, nunca o leitor saberia se tratar de um romance passado na época medieval. Ela, a autora, até mesmo faz os personagens dançarem o minueto! Detalhe: o minueto só iria aparecer uns 200 (!!) anos depois nas cortes europeias.

Coração Traiçoeiro é um livro de leitura rápida, sem grandes surpresas mas que cumpre aquilo a que se propõe: é romântico e diverte. É o tipo de leitura facilmente esquecível, é verdade, e, as soluções são apresentadas um pouco fáceis demais, porém não quer dizer que não seja agradável.

Recomendo. Ideal para passar o tempo.

Outras Capas


Cotação:
3/5

Reações: