sexta-feira, dezembro 14, 2012

Milagre de Natal, de Ruth Langan [Maratona de Banca]


Um presente de coração.

Era difícil encontrar a magia do Natal no caminho para o Oeste, em 1866. Apesar disso, Lizzy Spooner pretendia lutar para que sua família, traumatizada pela guerra, não abandonasse os antigos sonhos nem mesmo no Novo México, com intensas nevascas e homens rudes como a terra selvagem em que viviam.

O espírito natalino não tinha significado algum para Cody Martin, homem amargurado e “casado” com as montanhas primitivas que ele escolhera para seu lar. Então, numa noite em que a neve parecia cobrir o mundo, o brilho de uma promessa surgiu diante de seus olhos na figura de Lizzy Spooner, seu anjo de Natal...


Que livro mais lindo! Foférrimo, pra ser mais exata. Fazia tempo que eu não li algo que me deixasse tão feliz, com um sorriso no rosto. É claro que não estamos falando de uma grande obra de literatura, mas o tipo de leitura que te deixa mais leve. Feliz.

A estória se passa no Velho Oeste americano (na realidade, tecnicamente, não é o Velho Oeste, já que eles estão à caminho da Califórnia, mas quem liga? ), logo após o final da Guerra da Secessão. Os Spooner é uma família sulista em busca de uma nova vida na Califórnia, após perderem tudo na guerra. O avô, Amos, é um homem determinado porém fechado, que viu todo o mundo ruir, além de perder seu único filho. Ele viaja com os três netos: SaraJean, uma jovem viúva e grávida, o pequeno James, de apenas 5 anos, e Lizzy, a neta mais velha e verdadeira força da pequena família. Na verdade, é Lizzy quem cuida de tudo e de todos, colocando-se sempre em segundo plano.

Eles estão no meio do caminho em direção à Califórnia, quando após uma série de problemas , são ajudados por um solitário morador das montanhas, o enigmático e taciturno, Cody. Só existe um detalhe: Cody lutou pelo Norte.

Isolados na cabana de Cody, os Spooner tem que aprender a conviver e respeitar aquele “ianque”, assim como Cody precisa lidar novamente com “pessoas”.
Como em muitos romances do gênero, Cody é um homem amargurado e marcado por terríveis acontecimentos do passado. Ele não é uma pessoa ruim, mas apenas deixou de acreditar no ser humano, ou melhor dizendo, deixou de se importar em viver perto de outro ser humano. A solidão é a sua companhia. Tudo o que lhe interessa são os seus cavalos e o seu cão Beau.

Mas é claro que suas convicções- sua vida- irão mudar com a chegada dos Spooner. E não só ele muda, mas também a própria família sulista, com suas “visões”, muitas vezes preconceituosas a respeito dos ianques.
Se Cody vive para si mesmo (não ele não é egoísta, apenas solitário), Lizzy vive para os outros. Sua função na vida é ajudar os outros, muitas vezes, esquecendo-se de si mesma.

O desejo – e depois amor- entre Lizzy e Cody já é percebido desde o primeiro momento em que eles se encontram. É como uma bolha prestes a estourar. O amor deles é lindo e bem construído, porém, o que eu gostei no livro, é que a autora não focaliza a estória somente nisso mas também nas mudanças que vão acontecendo com os outros personagens.

Os personagens crescem, se desenvolvem, mas sem nunca perder a essência.
É claro que eu não poderia deixar de mencionar que a estória se passa às vésperas do Natal e tem todo aquele “clima natalino” de amor e redenção e novos começos.

A minha única crítica, além do livro ser curto demais, é que muitas vezes as cenas parecem ser contadas e não “mostradas”, sabe? E eu também gostaria que tivesse um epílogo contando como eles estavam depois de algum tempo. Adoro Epílogos!

De qualquer forma, Milagre de Natal é uma leitura encantadora; a gente sorri, se emociona e até ri em alguns momentos. O livro perfeito para essa época do ano. Ou para aqueles momentos em estamos nos sentindo meio “pra baixo”.

Super Recomendo!

Título Original:
Autor: Christmas Miracle
Editora: Nova Cultural
Coleção: Clássicos Históricos 15
Gênero: Romance Histórico
Sub-Gênero/Assunto: Romance de Banca, Família, Crianças, Viúvo,
Período: Séc. 19. Eua, Velho Oeste.


Milagre de Natal foi a minha leitora do mês para a Maratona de Banca de Dezembro. O tema, para quem ainda não advinhou, é Natal ^.^





Outras Capas

4/5

Reações: