terça-feira, novembro 26, 2013

Coração Selvagem, de Diana Palmer



Tess Meredith e Matt Davis cresceram nas belas planícies de Montana. Mas uma ameaça pairava sobre a forte amizade que os unia: o preconceito pelo sangue Sioux de Matt. Ao buscar a sorte em Chicago, com muito esforço ele conseguiu construir uma nova vida, ainda que atormentado pelo remorso de ter abandonado o amor de uma encantadora menina. Até que um dia Tess tem questões a resolver em Chicago. E mais uma vez ela fará parte do mundo de Matt, trazendo de volta o passado que ele tentara por diversas vezes enterrar. Assim como Matt, ela carregava as marcas do tempo. Tornara-se uma mulher madura, decidida a lutar por seus direitos na sociedade. Mas, acima de tudo, disposta a enfrentar qualquer tipo de hostilidade para ficar ao lado do homem cujo coração selvagem a conquistara…


Um Titia Palmeirão que nem parece Titia Palmeirão.

Tá certo que temos um mocinho alpha e mocinha jovem e ingênua que o ama desde sempre – e só isso é “básico” em romances Palmerianos. E fala isso com certo conhecimento de causa, pois eu *gosto* da Titia, apesar de muuuitas vezes sentir muita raivinha. A diferença aqui é que se trata de um romance histórico.
E um romance histórico muito bom, por sinal.

Eu já tinha lido alguns outros romances históricos da autora e, honestamente, não havia ficado impressionada. Com Coração Selvagem foi diferente. Em vários sentidos. Primeiro, a história é bem escrita e, segundo, é ambientada em um período pouco explorado nos romances de época: o início do século XX.

Tendo como pano de fundo as mudanças do início do século e o movimento sufragista , Diana Palmer apresenta uma bela história de amor entre uma jovem branca idealista e um índio que faz de tudo para esconder suas origens a fim de ser aceito na sociedade de então.

O que mais me chamou a atenção no livro, o que eu mais gostei, não foi a relação de amor de Tess e Matt- que sim, é linda- mas a questão do preconceito. Não só o preconceito externo mas o preconceito interior. Matt, muitas vezes dava a entender que tinha vergonha das próprias origens. Será?
Coração Selvagem poderia muito bem ser um daqueles romances de banca que se dariam muito bem em uma versão “livraria”. Poderia. O problema é que apesar da história ser bem conduzida e narrada, o final é muito corrido e algumas soluções são muito rápidas. Eu achei que seria necessário um pouco mais de “verniz” para uma versão “livraria” mas a base está ali e ela é ótima.

Um belo livro, que vale apena leitura. Até para quem não é muito fã da autora.

Recomendo!
**
Apesar de este livro ser um stand alone, ou seja, não fazer parte de nenhuma série, parece que tem ligação com o livro Magnolia, pois Matt aparece naquele livro.

Título Original: The Savage Heart
Autor: Diana Palmer
Editora: Harlequin
Gênero: Romance Histórico
Coleção: Rainhas do Romance 72
Sub-Gênero/Assunto: Romance de Banca, Índios , Amor Impossível, Racismo e Preconceito, Falsa Identidade
Período: Início do Séc XX. EUA.





*** Este foi a minha leitura para o mês de mês na Maratona de Banca. O tema é Diana Palmer.

Outra Capa:


4/5

Reações: