quinta-feira, julho 04, 2013

Supostamente Culpada, de Tess Gerritsen


Quando Miranda Wood chega em seu chalé frio e sombrio, encontra um homem na cama morto a facadas. Ela se torna a principal suspeita, e parece ainda mais culpada quando sua fiança é paga por um doador anônimo. Enquanto luta para limpar o nome, Miranda desencava uma história de chantagem, corrupção e escândalo. E, ao se aproximar da verdade, fica óbvio que alguém tem a intenção de matá-la. Uma pessoa com fortes razões para tirá-la de seu caminho…




Eu ganhei Supostamente Culpada da Sabrina Pepe no Amigo Secreto das Blogueiras de 2011 (!!) e só agora tive oportunidade de ler. Sempre aparecia uma ou outra leitura que “passava na frente”.

Este livro faz parte da fase suspense romântico de Tess GuériGuéri , ops!, Gerritsen e quem conhece a autora por seus Thrillers médicos, principalmente a série Rizzoli & Isles, irá estranhar um pouco. Tess já era uma escritora talentosa, mas ainda era bem “crua” por assim dizer. Na verdade, o estilo dela neste livro me lembrou um pouco uma Sandra Brown pouco elaborada.

Supostamente Inocente fala sobre a clássica histórica do inocente que se vê, de repente, diante de uma situação, que parece sem saída- e que todas as provas parecem apontar contra ele. Ou ela, no caso.

Miranda Wood é uma jornalista, relativamente nova em uma pequena cidade dos EUA, que, de repente se vê acusada de ter matado seu Ex-chefe e ex- amante, Richard, um homem proveniente de uma das mais importantes famílias da cidade. E não ajuda nada, um doador anônimo ter pagado sua milionária fiança. Teria Miranda outros amantes? E o fato de alguém aparentemente estar tentando matá-la parece ser apenas um detalhe.

Ninguém acredita em sua inocência, a não ser seu velho vizinho, a simpática Sra. St. John (eu adorei ela!), um senhora com com ares de Miss Marple e, bem, Chase.

Não, Chase não acredita nela, à princípio. Ou simplesmente não quer acreditar. O fato de ele ser irmão de Richard prejudica bastante seu julgamento- e a crescente atração pela principal suspeita não ajuda em nada as coisas, né?

Por ser um suspense romântico, não espere uma trama policial especialmente elaborada. Todavia, isso não quer dizer que o aspecto “policialesco” tenha sido deixado de fora. Pelo contrário. O romance é forte, obviamente, mas já podemos sentir mesmo neste trabalho que Tess prezava por uma trama bem acabada e coerente. Não vou mentir, eu descobri quem era a pessoa culpada logo no início do livro, mas, sem falsa modéstia, não é algo tão óbvio, nem “tirado da cartola”. O fato é, quando se lê muitos livros policiais, a gente acaba ficando boa em “descobrir assassinos” rs

Supostamente Culpada é um livro sem grandes surpresas ou diferenciais mas é uma leitura que te prende do início ao fim. Quando você se dá por si, já são quase 4 da madrugada e você simplesmente não consegue largar o livro. É o tipo de coisa viciante. Muitos pontos pra Tess por isso.


“Finais felizes não são automáticos. (...) Às vezes, é preciso correr atrás deles.”


Quem já é familiarizado com literatura policial pode achar o livro um pouco leve demais, até ingênuo, mas nunca chato ou não divertido. Pessoalmente, acho que é uma ótima pedida para quem não conhece o gênero e quer começar com algo um pouco mais “solto”.


Recomendo!

Ah, eu aconselho a não ler a orelha do livro. Não que tenha algum spoiler mas muita coisa escrita- e mistério é algo importante em livro de suspense, né?


Título Original: Presumed Guilty
Autor: Tess Gerritsen
Editora: Harlequin
Gênero: Suspense Romântico
Sub-Gênero/Assunto: Crime e Mistério, Romance Contemporâneo
Período: Anos 90. EUA.



Este livro foi minha leitura para o tema 5 do Desafio Realmente Desafiante-
Ler um livro que o autor tenha a mesma inicial que a sua.
Caso vocês não saibam: Thaís Gisele= Tess Gerritsen ^.^


Outras Capas:


4/5

Reações: