segunda-feira, setembro 30, 2013

Call Me Irresistible, de Susan Elizabeth Phillips



Meg Koranda es la mejor amiga de Lucy Jorik, que esta a punto de casarse con Ted Beudine. Ted es la clase de hombre por quien toda mujer suspira, al que todo los padres adoran, y cuya vida quisiera tener cualquier hombre. Es el tipo perfecto para cualquier mujer, salvo para Lucy. Meg consigue convencer a su amiga de que con Ted no va a encontrar la felicidad. Una vez que se suspende la boda, Meg es quien carga con las culpas de haber destruido los suenos romanticos de Ted. Y para complicar aun mas las cosas, Meg se queda tirada con el coche en la ciudad natal de Ted, sin dinero y con un novio muy disgustado, pero esta segura de que puede sobrevivir con su ingenio. Que es lo peor que puede pasarle? Perder el corazon por el mismisimo don Irresistible? (Sinopse da edição espanhola)



Chick-Lit agradável e sem muitas pretensões, Call Me Irresistible é daquelas leituras de “uma tarde”; ótima para passar o tempo em um domingo chuvoso.

Eu não sou a mais entusiasta do gênero, mas isso não quer dizer que eu não me arrisque de vez em quando. E essa foi uma “arriscada” que deu certo. Eu comprei o livro simplesmente porque gostei da capa, eu confesso, mas felizmente não me arrependi. Talvez não tivesse comprado se soubesse que este era o sexto (!!) livro de uma série de 7.

Pois é, Call Me Irresistible faz parte de uma série e eu não sabia disso. Quem me conhece sabe que eu odeio ler livros de uma série fora da ordem mas, desta vez, resolvi tentar. Serei honesta, pra ler e entender este livro sem ter lido os anteriores. A história principal é bem “compreensível”, porém não vou negar que muitas vezes me senti como se tivesse ouvindo uma piada interna, da qual não fazia parte. O livro tem várias referências à acontecimentos e casais de livros anteriores mas nada que não dê para ir “levando”.

Call Me Irresistible começa quando Meg Koranda, uma mimada filha de famosos de Hollywood, vinte e muitos anos, chega à Wynette, uma pequena cidade do Texas, para o casamento de sua melhor amiga, Lucy. Lucy é filha de uma ex-presidente dos Estados Unidos e seu noivo, Ted Beaudine é o filho preferido da pequena cidade. Lindo, rico e carismático.
É o casamento perfeito. Menos para Meg. Ela acha que os dois não combinam- e deixa a sua opinião clara para a sua amiga.
O que acontece a seguir é que, de certa forma, influenciada pela amiga, Lucy larga o noivo no altar e foge da cidade.

A noiva foge, mas Meg acaba ficando e é logo chamada de traidora pra baixo pelos moradores do lugar. O pior de tudo é, decido à uma série de infortúnios ela é obrigada a ficar na cidade e aguentar não só a raiva dos moradores mas principalmente o ódio de Ted, o noivo abandonado.

É claro que este ódio toda vai acabar se transformando em paixão, né? Ao mesmo tempo em que Meg percebe que já está na hora de crescer.

Eu não simpatizei com Meg logo de cara. Na verdade, a achei uma verdadeira bitchie. Sério, se ela achava que a amiga não combinava com o noivo, então falasse antes e não no dia do casamento, né? Depois, o fato da pessoa viajar só com cartões de crédito e sem nenhum dinheiro vivo. Na boa, é muita estupidez! Mas, eu não fui com a cara dela, especialmente, por ser muito mimada e chatinha mesmo.

Contudo, ainda bem, essa má impressão foi logo se diluindo. Meg cresce. E eu adoro ver personagens que evoluem, se desenvolvem, no decorrer da leitura. De garota mimada, “filha de Hollywood”, Meg se torna uma mulher mais forte, sabendo mais o que quer da vida e do futuro.

Meg sofre muito na cidade. Todos a odeiam e em vários momentos eu senti um misto de angústia e sofrimento por ela.

Ted, o noivo abandonado, à princípio,parece ser mais um daqueles machos-alfa, ogro-like. O que ele mais quer é humilhar Meg e a gente sente uma raivinha dele, mas aos poucos, o homem seco e, aparentemente, desprovido de paixão e sentimentos, começa a mostrar sua verdadeira face. É um personagem interessante e que mostra que não é preciso chorar e expor a própria dor para provar que tem sentimentos, que está sofrendo.

Ele e Meg tem um começo intempestivo e não é um casal que a gente torce de imediato, mas pouco a pouco, é impossível imaginar um sem o outro.


Call Me Irresistible foi uma leitura interessante, com um começo um pouco claudicante (eu queria muito usar essa palavra, rs!) mas que, pouco a pouco, foi me conquistando. Meu lado escorpiana-vingativa, ficou um pouco decepcionada, mas como um romance leve e divertido, o livro é uma ótima pedida.

Recomendo.

Título Original: Call Me Irresistible
Autor: Susan Elizabeth Phillips
Editora: Avon (Importado)
Gênero: Chick-Lit
Série:Wynette, Texas- Livro 6/7
Sub-Gênero/Assunto: Amor e Ódio, Romance Contemporâneo
Período: Contemporâneo. Wynette, Texas.

A Série
Infelizmente essa série não foi lançada no Brasil. A lista com os livro está Aqui.

Outras Capas:


***



Este livro foi minha leitura para o tema 18 do Desafio Realmente Desafiante-
18. Ler um livro com a capa com letras amarelas.




3.5/5 (um 3,75, na verdade)

Reações: