quinta-feira, outubro 31, 2013

O Testamento, de Julie Garwood

Quando o respeitado procurador Theo Buchanan do Departamento de Justiça passa, mal eum um baile de gala em Nova Orleans, a Dra. Michelle Renard age rapidamente para salvar sua vida. Logo Theo se vê em uma roda viva para salvá-la, quando Michelle vira alvo de uma quadrilha mortífera. Eles se denominam o Clube dos Semeadores, quatro elementos deletérios guiados pela ambição de acumular milhões em uma conta bancária secreta. Agora eles estão dispostos a silenciar Michelle para sempre, pois ela pode conhecer o segredo por trás da morte piedosa da esposa de um deles. Escapando por entre um homem da mais alta classe e um bando de criminosos astuciosos, Michelle e Theo caminham na corda bamba entre a paixão e a sobrevivência.






Segundo livro da série Buchanan/Renard, O Testamento é inferior ao seu antecessor, mas mesmo assim ainda é uma ótima leitura. Para dizer a verdade, na primeira vez que eu li este livro, há uns 3 anos atrás, eu não gostei muito. Mentira, gostei, mas não me apaixonei pela leitura. Achei que havia faltado algo. Agora, nesta releitura para o Desafio Realmente Desafiante, me descobri gostando muito mais do livro.

A segunda vez foi melhor. Muito melhor.

Eu geralmente gosto de fazer uma breve introdução sobre do que se trata o livro, contudo, como todo livro de suspense, acredito que quanto menos se souber, melhor. Sem contar que a sinopse oficial, está aí, né?

Não existe em O Testamento um mistério propriamente dito, desde o começo sabemos quem é o vilão. E como está agindo. Ou pelo menos, sabemos grande parte. Narrado sob o ponto de vista tanto dos mocinhos e dos vilões, o livro mostra uma visão mais ampla de toda a história, contudo, a autora não entrega “tudo” tão facilmente. Existem pequenas armadilhas e surpresas que vão ocorrendo. Julie Garwood nos ilude com algumas certezas que pensamos ter durante a leitura. São pequenos detalhes que fazem com que nem tudo pareça tão óbvio. Eu diria que é um “temperinho” da autora.

Muitas vezes, neste tipo de livro, onde o casal luta contra “forças ocultas”- ocultas, para eles, pelo menos- tem-se a típica relação de amor e ódio entre os protagonistas. Aqui isso não acontece. Theo e Michelle são muito parecidos, apesar não parecer, ao menos no início. Mais do que isso, eles “combinam”. Sem contar que a autora não perde tempo com traumas e dramas desnecessários. São um homem e uma mulher que se sentem atraídos um pelo outro e se veem diante de uma situação inacreditável. Os dois criam um vinculo e se veem tentando lutar contra algo que não sabem o quê é, nem mesmo o porquê. Mike, como Michelle é chamada, tornou-se um alvo. Mas de quê? O interessante é que nós, leitores, já sabemos do que se trata. A autora nos coloca um passo à frente de seus mocinhos.

O Testamento é um livro de suspense crescente, que foi me envolvendo completamente. Um dos pontos altos do livro, para não dizer *o* ponto alto, foi os personagens coadjuvantes. Não que Michelle e Theo tenham sido desinteressantes, mas perto de John Paul, o irmão “misteriosos e selvagem” de Mike, e Noah Clayborne, agente do FBI, amigo de Theo, os dois perdem pontos. John é simplesmente o máximo e Noah...ah, Noah é o Noah, né? #piriguetagemModeOn


Como eu já mencionei, O Testamento na comparação com o livro anterior, A Confissão , mas ainda assim é um ótimo exemplar de Suspense Romântico (a série, no geral, aliás). Não se deve esperar desse livro grandes momentos de tensão ou violência. O livro não é sobre isso; é sim um intrincado jogo de gato e rato.

Eu não saberia dizer ao certo quais são os pontos fracos do livro. O Testamento é um bom livro, um bom 4 estrelas, mas não um 5 estrelas. Acho que, apesar de ser uma leitura envolvente, faltou-lhe um pouco de ritmo e o casal protagonista, apesar de ótimo, não é inesquecível. Eu gostei muito de Mike e Theo, mas comparando-os com os coadjuvantes, eles saem perdendo.

De qualquer forma, para quem gosta de Suspense com uma boa porção de romance, O Testamento é uma ótima pedida.

Recomendo.

O P.S:

- É recomendável ler a série na ordem correta, principalmente O Testamento e o livro seguinte, Prazer de Matar. Digamos assim, O Testamento deixa uma certa ponta solta...



Título Original: Mercy
Autor: Julie Garwood
Editora: Landscape
Gênero: Suspense Romântico
Série: -Buchanan/Renard- Livro 2
Sub-Gênero/Assunto: Romance Contemporâneo, Suspense, Médicos, Advogados
Período: Contemporâneo. Sul dos EUA.




Este livro foi minha leitura para o tema 16 do Desafio Realmente Desafiante-
16. Re-ler e resenhar um livro que leu a muito tempo e nunca resenhou!


A Série:

Tragédia, este é o teu nome. A série Buchanan/Renard estava sendo lindamente publicada pela Editora Landscape, porém, oh, porém, a editora MORREU. FALIU. Pois é. Espero sinceramente que outra editora passe a publicar não somente esta série mas também os outros livros da autora. De qualquer forma, ainda vale MUITO a pena ler os livros lançados no Brasil. Afinal, temos o Noah...

Buchanan-Renard


1. Heartbreaker (2000) - A Confissão.
2. Mercy (2001) O Testamento
3. Killjoy (2002) – O Prazer de Matar
4. Murder List (2004) - A Próxima Vítima.
5. Slow Burn (2005) - Marcada para Morrer.
6. Shadow Dance (2006) - A Dança das Sombras.
7. Fire and Ice (2008) - Fogo e Gelo.
8. Sizzle (2009) - Ainda não publicado no Brasil.
9. The Ideal Man (2011)- Ainda não publicado no Brasil.
10.Sweet Talk (2012)- Ainda não publicado no Brasil.
11.Hot Shot (2013)- Ainda não publicado no Brasil.
12.Fast Track

Outras Capas:



4/5

Reações: