terça-feira, fevereiro 10, 2015

[Resenha] A Libélula No Âmbar- Diana Gabaldon

"Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo… e sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.
O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?"


Não foi uma questão de expectativas, até porque eu não tinha me encantando com a leitura de A Viajante No tempo, o primeiro livro da série Outlander, porém, não posso negar que esperava mais. Bem mais.

O começo até que me agradou, talvez (talvez, não, com certeza) por ser narrado em terceira pessoa e estamos diante de uma Claire Randall vinte anos mais velha, mãe de um uma jovem, Brianna. Este inicio não apresenta muito de novo mas de não tê-la como foco único da narrativa já me agradou.
Porém, nada dura para sempre e voltamos ao século XVIII e à narração em primeira pessoa.

E uma enrolação sem fim. A primeira coisa a ser dita é que A Libélula no Âmbar não é um romance e sim uma aventura, tendo isso em mente, a leitura torna-se um pouco mais fácil. Um pouco. Não vou mentir, desgosto do personagem da Claire desde o primeiro livro, mas nutria uma certa simpatia por Jamie, porém, aqui, até ele conseguiu ficar enfadonho. Tudo é enfadonho.

A autora tem um sério problema de falta de coesão e uma necessidade quase patológica de mostrar que conhece História (conhece mesmo?); assuntos completamente sem importância são esmiuçados e outros, importantíssimos para trama passam quase despercebidos. Qual foi o critério? As descrições são longas e chatas, assim como os diálogos.

Eu me via simplesmente querendo terminar o livro. Outro fato que me incomodou profundamente foi a “relação” de Claire com Frank, seu marido. No primeiro livro, o coitado foi praticamente esquecido. Em A Libélula no Âmbar, a autora parece que “se lembrou” do cidadão e de repente Claire passa a ter consciência da existência do ser.

Obviamente nem tudo foi péssimo, algumas passagens foram sim interessantes (particularmente gosto bastante da irmã e cunhado de Jamie) foram muito poucas e muito rápidas. Assim como em A Viajante no Tempo, o livro melhora um pouco no final, mas foi muito pouco e muito tarde. E este final me deixou curiosa em relação ao terceiro livro. Eu sei, é estranho, mas é a verdade. Acho que este é o maior elogio que posso dar à A Libélula no Âmbar

Esta foi a minha opinião. Leia e me diga o você achou.




A Série

Livro 1- A Viajante no Tempo- Resenha
Livro 2- A Libélula no Âmbar- [Resenha]
Livro 3-  Resgate no Mar- Parte 1-
Livro 3- Resgaste no Mar-Parte 2-
Saiba Mais AQUI


Título Original: Dragonfly in amber
Autor: Diana Gabaldon
Editora: Saída de Emergência
Série: Outlander- Livro 2
Gênero: Romance Histórico
Sub-Gênero/Assunto: Aventura, Viagem no Tempo, guerra,
Período: 1968 e 1745. Escócia.
Capa original:

2.5/5

Reações: