quarta-feira, abril 03, 2013

Ardente como o verão, de Linda Lael Miller


Lar, doce lar? Para curar feridas deixadas por um casamento infeliz e a morte de um enteado, Libby Kincaid retornou ao rancho onde fora criada. Porém, ao invés de solidão, ela encontrou Jess Barlowe, sexy, sedutor e louco como ninguém! Durante anos Libby e Jess tiveram uma disputa, e agora boatos sobre a reputação dela pareciam enfurecê-lo ainda mais. Não demora muito para que tantos atritos gerem fagulhas que acendem o fogo de uma forte paixão. Jess não desistiria enquanto Libby não aceitasse ser sua noiva. Infelizmente, Libby sabia muito bem que casamentos não dava garantia de que seu homen fosse confiável... ou que lhe tivesse amor.



Estaria Linda Lael Miller sob efeitos de uma poção Palmeriana quando escreveu este livro? Sério, por muitas vezes me perguntei se não tinham errado o nome da autora.

Eu gosto muito do estilo da autora, porém, neste livro ela me pareceu um pouco “diferente”; imatura, talvez. Ardente como o verão está entre os antiguinhos dela e, apesar de não ser um livro ruim, percebe-se que é uma leitura mais fraca, principalmente se compararmos com os livros mais novos.

Jess Barlowe é um típico mocinho anos 80. Grosso até dizer chega. O típico ogro. (Seria ele de Jacobsville?). A mocinha, Libby Kincaid, coitada, é a sofredora e vítima de mal-entendidos e patadas do nosso herói.

Leitura péssima? Não, na verdade, o livro é bem divertido, mas tem que estar no “espírito” e entrar na fantasia. Eu teria dado um sai prá lá no mocinho faz tempo, mas, aí não teria livro, né?

É complicado aceitar que a Linda Lael tenha escrito um mocinho tão péssimo- e olha que eu adoro os cowboys dela. Até os bad-boys são gente boa! Jess viaja tanto na maionese que a gente não sabe se ri ou bate nele.
“Não pela primeira vez, Ken Kincaid sentiu um profundo desejo de pegar os dois pelos cabelos e bater suas cabeças.”

O que eu gostei no livro foi que, junto com a história de Jess e Libby, são também contadas as desventuras de um outro casal, Stace e Cathy, irmão de Jess e a melhor amiga de Cathy. Eu gostei da dinâmica deste “casal secundário” paesar de ter achado o Stace um idiota (talvez seja um problema de família, vai saber!) Na minha modesta opinião, a Cathy, foi a melhor personagem. Talvez por ela ser muda e isso saia um pouco da mesmice – o fato é que achei que ele tinha muito mais gana que a mocinha “oficial”.

Muito lesa essa Libby!

De modo geral, o livro não é ruim, mas, está longe de ser dos melhores. É uma leitura rápida- e esquecível. Se você é fã da autora, vale a título de curiosidade. Se nunca a leu, não comece por aqui.


***Leitura deste mês para o Desafio Literário 2013, cujo tema de Abril é “Estação do Ano no Título”.

Título Original: Parto f the bargain
Autor: Linda Lael Miller
Editora: Harlequin
Gênero: Romance Contemporâneo
Coleção: Primeiros Sucessos 30
Sub-Gênero/Assunto: romance de banca, cowboys, amor e ódio , reencontro
Período: Anos 80. EUA

Outras Capas:


A capa da versão Momentos Íntimos  é Uó de tão brega, né? rs Não sei porque mas o moço da capa americana (e anova versão brasileira) me lembra o Nick de Grimm. :)


3/5

Reações: