segunda-feira, janeiro 13, 2014

Paixão, de Nicole Jordan [Notorious 2]


A bela e sensual Aurora Demming acaba de perder o seu prometido e para garantir seu futuro, seu autoritário pai arranja-lhe um casamento de conveniência com um homem bem mais velho que ela. Com o fim de espantar a tristeza da sua vida, viaja às Ilhas Britânicas Ocidentais onde conhece Nicholas Sabine, um perigoso e sedutor americano condenado à forca por assassinato e pirataria com quem faz um estranho pacto. Aurora aceita se casar com o enigmático estrangeiro e tornar-se tutora de sua meia-irmã para fugir do acordo paterno. Há porém outra condição essencial, é preciso legitimar a união dos dois e para isso, a angelical donzela deverá realmente consumar a noite de núpcias, um breve espaço de tempo no qual o encantador Nicholas mostrará a Aurora parte dos segredos voluptuosos de dois corpos em um mesmo leito. Viúva, de volta à sociedade inglesa e com a irmã de Nicholas sob a sua responsabilidade, ela inicia uma uma nova vida, independente mas desprovida de amor.



Um livro que começa muito bem, mas se perde no meio do caminho.

Eu sou uma das poucas pessoas que não se apaixonaram pelo primeiro livro da série Notorius, Sedução. Não que eu tenha desgostado do livro, eu apenas não me apaixonei pela história. Isso fez com que eu não tivesse muitas expectativas em relação à este segundo livro, Paixão. E foi justamente essa “falta”de expectativas que fez com que eu não me decepcionasse ainda mais.

O livro começa com uma trama bem improvável, pra não dizer novelesca, mas ainda assim intrigante e, de certa forma, irresistível.

Por uma série de circunstâncias, a bela Aurora se vê prestes a casar com um condenado a forca, Nicholas Sabine. É para ser apenas um casamento de conveniência. Enquanto o casamento ( e futura viuvez) a livra de um pretendente indesejável e , mais importante, a livra do pai tirano, Aurora deve tutelar a irmã mais jovem de Nicholas em sua “estreia” em Londres.

O casamento ocorre, é consumado, e tudo acontece dentro do previsto. Ou pelo menos, assim aparenta. Aurora é agora uma respeitável viúva. O problema é que Nicholas volta “dos mortos” querendo reatar o casamento, algo que Aurora não quer nem pensar na possibilidade.

O retorno de Nicholas é a grande virada história- e é também quando a autora começa a se perder. O início de Paixão é ótimo. Diferente e com um toque aventuresco. A situação pode ser um pouco difícil de acreditar, mas isto se torna irrelevante diante da forma como é mostrada. É uma sequência que prende a atenção do leitor, faz com que a gente queira saber mais sobre aquela situação, aquele negócio, insólito. Além disso, os personagens são dinâmicos e bem representados. Nicholas tem o toque ideal de mistério e charme, e Aurora é ao mesmo tempo ingênua e lutadora.

O problema é que a partir do momento em que a trama vai sendo conduzida, essa Aurora “interessante” simplesmente desaparece! E dá lugar à uma mocinha simplesmente chatérrima. Mas a culpa não é só dela. O texto acaba se tornando tão chato quanto.

São páginas e mais páginas discutindo as mesmas questões, o mesmo assunto. Até mesmo os diálogos pareciam iguais, uma espécie de festival de Ctrl+C/Ctrl+V. Eu gosto de histórias em que os protagonistas já são casados e muitas vezes estas histórias envolvem o mesmo assunto, mas se esse for o caso é preciso ser muito cuidadoso para que o texto seja interessante e não enfadonho.

Em Paixão, infelizmente, até mesmo as inúmeras cenas sensuais acabaram se tornando enfadonhas e repetitivas.

Eu senti que a autora tinha até uma boa intenção. Há no livro uma crítica sobre a condição da mulher, de como ela passa de “propriedade”do pai a “propriedade”do marido e isso ;é muito interessante de ver sendo explorado quando é bem explorado, o que infelizmente não aconteceu aqui. Depois de certo tempo de leitura, eu simplesmente não dava mais à mínima para os anseios de Aurora e toda a sua necessidade de ser “ independente”.

É claro que o livro todo não foi uma tortura, além do ótimo início, perto do final, ocorre uma pequena reviravolta que dá um ânimo na trama- um pouco de ação acontece e eu senti como se tivesse despertado de um estado de monotonia.

Paixão não é um livro de todo ruim, mas não vou negar que tem problemas de ritmo e condução da trama. Pensando friamente, acho o que –ou quem- se salvou ali foi Nicholas. Ele sim o único personagem verdadeiramente interessante. Sexy, misterioso e com um irresistível toque de malícia, ele trouxe interesse e leveza ao texto. Assim como Lorde Sin, de Sedução, Nicholas merecia uma mocinha melhor.

Ou uma história mais bem desenvolvida.


Título Original: The Passion
Autor: Nicole Jordan
Editora: Planeta
Gênero: Romance Histórico
Coleção:---
Série: Notorius–Livro 2
Sub-Gênero/Assunto: Casamento de Conveniência, Falsa Identidade, Casados
Período: Regência.

A Série

Livro 1 – Sedução ( The Seduction )
Livro 2- Paixão -
Livro 3- Desejo-
Livro 4- Êxtase -
Livro 5- The Prince of Pleasure - inédito no Brasil.


Outras Capas:

Cotação:

2.5/5
Eu tive certa dificuldade me dar uma nota para o livro. Por um lado, o livro é monótono e repetitivo. Por outro, o início é ótimo e o final é bem interessante, além de possuir um protagonista charmoso e interessante. Mereceria ele 3 estrelinhas em vez de 2.5?

Reações: