quarta-feira, novembro 18, 2015

[Resenha] O Delator - Tess Gerritsen

“Em uma noite chuvosa, no meio da estrada, um estranho fugindo de assassinos surge bem na frente do carro de Cathy Weaver. O comportamento delirante de Victor Holland dava a entender que se tratava de um homem à beira da loucura. Mas sua afirmação de que estava sendo perseguido poderia ser atestada pelo temor no olhar e pela bala cravada no ombro. À medida que as horas passam e os perseguidores se aproximam, Cathy não consegue evitar um único pensamento; se ela estaria ajudando uma pessoa em perigo ou se estaria colocando sua vida nas mãos de um homem perigoso”


Quem conhece Tess Gerritsen apenas por sua série Rizzole & Isles pode estranhar um pouco este livro, até mesmo achá-lo de qualidade literária menor, porém, como um todo, O Delator é um suspense romântico simpático e agradável de se ler.

É só não se esperar muito- e a satisfação será garantida.

O Delator é um emocionante (bem, talvez “emocionante” seja uma palavra muito forte, mas também, de forma alguma, é um livro parado) thriler romântico no qual a autora se vale da conhecida premissa em que dois estranhos precisam correr contra o tempo, salvar seus traseiros e capturar os vilões. Tudo muito fácil e tranquilo, obviamente! rs

Victor, um bioquímico e Cathy , uma maquiadora de filmes de terror B se conhecem por acaso, mas circunstâncias fazem com que eles precisem fugir juntos tanto da polícia quanto de homens nem um pouco bem encarados que querem matá-los. Tudo está relacionado com uma fórmula farmacêutica e seu uso inapropriado.

Acho que O Delator também poderia ser definido como uma versão de David contra Golias, onde Victor é apenas um homem tentando ir contra uma grande empresa.
O livro é legal. Esta é a primeira- e principal- coisa a ser dita. O livro não apresenta grandes novidades; é aquele tipo de leitura despretenciosa ideal para se passar o tempo. Me parece horrível dizer isso, mas O Delator é uma típica leitura média que não emociona mas também não compromete.

O talento da autora se faz presente, mesmo que seja apenas nos detalhes. Obviamente os livros mais novos dela são melhor escritos- e acho até que isso é inevitável, mas aqui já se pode notar a sua qualidade. É interessante ver que, apesar de ser uma literatura romântica, o lado policial tem um grande papel no enredo. Não é apenas uma “desculpa” para uma história de amor.

Não existe um mistério propriamente dito; nós sabemos quem são os mocinhos e quem são os vilões. A questão aqui- e devo dizer que foi algo muito bem trabalhado pela autora- é a tensão, o senso de perigo.

Victor e Cathy são dois personagens interessantes; não particularmente envolventes, mas interessantes de qualquer maneira. Gostei que ele não é um ex-militar ou algo do gênero. A autora fez bem em não cair em mais esse clichê e mesmo que Cathy seja mais uma mocinha magoada pelo ex, ela não deixa dominar por isso. Aliás, o ex tem uma importante função da trama.
Não achei o casal extremamente apaixonante, mas também não foi um daqueles casos em mocinho e mocinha eram “nada a ver”. Como eu disse anteriormente, esta é uma leitura “média”.

Durante a leitura não teve o que realmente tivesse me incomodado, tlavez, penso eu, tenha sido o “vai- não vai” em realção à Cathy ficar ou não com Victor. Ela queria ficar com ele; ele a queria longe, em segurança. Soooono.

No geral, O Delator foi um passatempo agradável, sem grandes surpresas mas que cumpriu seu papel de entreter.

Para quem nunca leu a autorta, talvez seja melhor começar pela sua série mais famosa. Para aqueles que já estão familiarizados com sua obra, vale a conferida.

Título Original: Whistleblower
Autor: Tess Gerrritsen
Editora: Harlequin
Gênero: Suspense Romântico
Sub-Gênero/Assunto: Thriller
Período: Anos 90. EUA
Outra Capa:


3/5


 photo Thais1_zpssfusghrx.gif

Reações: